Dissertations/Thesis

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFC

2014
Description
  • CECILIA LEITE COSTA
  • Clostridium difficile: incidência da infecção e caracterização das cepas isoladas de pacientes com diarréia internados em um hospital oncológico de Fortaleza, Ceará.
  • Advisor : CIBELE BARRETO MANO DE CARVALHO
  • Data: Nov 13, 2014
  • Show resume
  • Clostridium difficile é um bacilo Gram positivo, anaeróbio estrito, formador de esporos e produtor de toxinas. Atualmente, representa a principal causa de diarreia hospitalar associada ao uso de antibióticos. Pacientes oncológicos são um dos principais grupos de risco para infecção por C. difficile (CDI), visto que o uso de agentes quimioterápicos pode alterar a mucosa intestinal. Além disso, estes pacientes normalmente são imunodeprimidos e frequentemente utilizam antibióticos de largo espectro. Tendo em vista a patogenicidade do C. difficile e a importância da doença induzida por essa bactéria na morbi-mortalidade em ambiente hospitalar este estudo visou determinar a incidência e caracterização fenotípica e genotípica de cepas de C. difficile isoladas de pacientes oncológicos internados do Hospital Haroldo Juaçaba, Fortaleza, Ceará. Durante o período de 12 meses (maio/2013 a maio/2014) foram coletadas 41 amostras de fezes diarreicas. Toxinas A e/ou B foram detectadas a partir das fezes por meio de um kit de detecção comercial ELISA. Em seguida, as amostras foram cultivadas em Agar Cicloserina, Cefoxitina, Frutose (CCFA) e incubadas em anaerobiose. As cepas isoladas foram processadas e realizadas identificação fenotípica e análise de detecção dos genes das toxinas e do fragmento do gene tpi (identificação definitiva) por PCR convencional. A sensibilidade das cepas isoladas a 12 antimicrobianos foi determinada por meio de E-test. Também foi realizado a genotipagem das cepas por meio da análise molecular PFGE. 46,3% (19/41) das amostras foram positivas para presença das toxinas A/B por ELISA e/ou cultura do C. difficile. Dessas amostras, foram isolados C. difficile em três amostras (15,8% - 3/19). Em todos os isolados foram detectados os genes tpi, tcdA e tcdB. O domínio de ligação da toxina binária (cdtB) não foi detectado assim como também não foram observadas deleções no gene tcdC nos isolados. Todas as cepas apresentaram o mesmo genótipo, NAP4. Com relação à sensibilidade das cepas aos antimicrobianos foi verificado multirresistência a dois ou mais antimicrobianos (azitromicina, tetraciclina, ciprofloxacina, levofloxacina, ceftriaxona e cefotaxima). 21% (4/19) dos pacientes diagnosticados com CDI não faziam uso de antibióticos e 57,9% (11/19) faziam uso de antibióticos e quimioterápicos.
  • CARLOS EDUARDO CORDEIRO TEIXEIRA
  • Atividade da molécula tirosol, vancomicina e antibióticos beta—lactâmicos sobre o crescimento de Candida spp. resistentes a derivados azólicos, na forma planctônica e biofilme.
  • Data: Sep 26, 2014
  • Show resume
  • Nas últimas duas décadas, houve um aumento significativo na incidência de infecções causadas por leveduras do gênero Candida. C. albicans é considerada a principal representante do gênero, porém outras espécies vêm ganhando destaque. A produção de biofilme é um importante fator de virulência e traz grandes repercussões clínica devido ao aumento da resistência à terapia antifúngica. Diversos são os relatos de resistência in vitro de cepas de Candida spp. a fármacos antifúngicos, em especial a derivados azólicos. Deste modo, a prospecção de novos compostos com propriedade antifúngica se faz necessária. Alguns estudos têm evidenciado a atividade das moléculas de quorum-sensing farnesol e tirosol e de antibióticos beta-lactâmicos e glicopeptídeos contra espécies de Candida. Por conseguinte, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da molécula quorum-sensing tirosol e dos antimicrobianos vancomicina, meropenem, cefepime e piperacilina-tazobactam, associados ou não a antifúngicos clássicos, sobre o crescimento de Candida spp., resistentes a derivados azólicos, nas formas planctônicas e em biofilme. Para tanto, foram utilizadas cepas de C. albicans (n=10) e C. tropicalis (n=10). A concentração inibitória mínima (CIM) foi determinada por meio da técnica de microdiluição, preconizada pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI). Adicionalmente foi investigada a ação do tirosol e dos antibacterianos sobre o biofilme em formação e maduro de Candida spp. As CIM´s para tirosol variaram de 2,5 a 5 µM e para os antibióticos variaram de 500 a 2000 µg/mL, para ambas as espécies. Foi observado efeito sinérgico na associação entre itraconazol e tirosol(18/20 cepas) e entre o fluconazol e tirosol(18/20 cepas), enquanto a associação anfotericina B e tirosol apresentou sinergismo em 5 cepas de C. tropicalis e 6 cepas de C. albicans. O tirosol isolado apresentou efeito sobre a formação de biofilme de ambas as espécies na concentração 50XMIC (p<0,0001) em relação ao efeito do tirosol sobre biofilme formado observou-se um aumento na concentração 10XMIC e uma diminuição na concentração 50XMIC. A combinação entre tirosol e drogas antifúngicas apresentou um aumento na atividade do biofilme maduro diretamente proporcional á concentração testada quando o tirosol foi associado a derivados azólicos e uma diminuição quando associado com anfotericina b. Todos os antibacterianos apresentaram efeito estatisticamente significativo sobre o biofilme em formação de Candida spp. (p<0,0001).Em relação ao efeito dos antibióticos vancomicina, meropenem, piperacilina/tazobactam e cefepime sobre o biofilme formado de Candida spp., apresentaram reduções estatisticamente significativa na atividade celular nas concentrações MIC / 10 (P <0,0001), MIC (P <0,0001), 10XMIC (P <0,0001) e 50XMIC (P <0,0001). Este estudo apresenta uma possível ação dos antibacterianos, tirosol isolado ou combinado com drogas antifúngicas sobre o Candida spp. na forma planctônica e em biofilme, sendo necessário novos estudos com o intuito de determinar as possíveis vias de ação desses compostos.
  • SUELLEN ALVES FREIRE
  • Efeito inibitório do colostro humano sobre biofilme de Escherichia coli
  • Advisor : LILIA MARIA CARNEIRO CAMARA
  • Data: Sep 12, 2014
  • Show resume
  • Há inúmeras evidências epidemiológicas indicando ação protetora do leite humano contra uma série de microrganismos com os quais o bebê entrará em contato na vida pós-natal, principalmente do trato respiratório e intestinal. Dentre os seus vários componentes, a IgA é uma das imunoglobulinas mais importantes e está presente em grande quantidade no colostro. No Brasil, a Escherichia coli, bacilo gram-negativo, tem sido apontada como o agente mais isolado em crianças hospitalizadas, e que, frequentemente, não foram amamentadas, acometendo episódios de diarreia graves, sepse e meningite neonatal. Um dos seus principais fatores de virulência é a formação de biofilme, que confere proteção contra a ação de biocidas e de produtos tóxicos. A pesquisa objetivou estudar o efeito in vitro do colostro humano puro e diluído e duas frações de proteínas purificadas (IgA1 e demais proteínas do colostro) sobre o biofilme em formação e o formado de E. coli. A biomassa foi mensurada por coloração com cristal violeta 0,4 % (CV) e a quantificação de células em biofilme por contagem de colônias em placas de ágar. Além disso, utilizou-se microscopia óptica de campo claro por coloração das lâminas com Vermelho Congo-Carbol Fucsina e microscopia de escaneamento confocal utilizando o reagente LIVE/DEAD® BacLight para visualização do biofilme. Observou-se um efeito inibitório dose dependente no biofilme em formação, através do ensaio de biomassa com CV (p <0,001). Este dado correlacionou com os resultados obtidos no ensaio de quantificação de células em biofilme que também mostrou uma redução do número de células viáveis (p<0,01). Estes resultados foram confirmados por microscopia, onde as menores diluições do colostro e as frações também presentaram um efeito inibitório, mostrando a formação de grumos semelhantes à aglutinação, com ênfase na ação da IgA1. Dados obtidos pela microscopia de escaneamento confocal mostraram uma diminuição da área total de biofilme e um aumento significativo de bactérias mortas, associado ao efeito bactericida do colostro. Quanto à ação sobre o biofilme formado, os dados mostraram diminuição da biomassa também de forma dose dependente, além de um efeito bactericida significativo. Portanto, o soro do colostro e suas frações purificadas têm efeito inibitório, diminuindo a formação de biofilme de E. coli, além de efeito bactericida, caracterizando um antibiótico natural.
  • PEDRO HENRIQUE DE ARAGÃO RODRIGUES
  • Isolamento, identificação, avaliação da atividade antifúngica in vitro e detecção de fatores de virulência de Candida spp. isoladas de testudíneos
  • Data: Jul 31, 2014
  • Show resume
  • A popularidade dos répteis em cativeiro tem aumentado nos últimos anos, principalmente como animais de estimação. Diversas espécies de microrganismos têm sido isoladas desses animais, os quais podem atuar como carreadores e disseminadores de importantes patógenos humanos, mas pouco se conhece sobre a sua microbiota fúngica. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi realizar o isolamento de espécies de Candida em amostras clínicas obtidas de jabutis (Chelonoidis spp.) e tartarugas marinhas (Chelonia mydas, Caretta caretta, Lepidochelys olivacea, Eretmochely imbricata), bem como avaliar a sensibilidade aos antifúngicos de uso clínico e os seus fatores de virulência. Para tanto, foi colhido material da cavidade oral e da cloaca de 77 animais, com auxílio de swabs, sendo 120 amostras de jabutis (n=60) e 34 amostras de tartarugas marinhas (n=17). O isolamento das cepas foi feito em ágar Sabouraud dextrose 2% com cloranfenicol e a identificação foi realizada, posteriormente, através de métodos morfológicos e bioquímicos. A capacidade de cepas de Candida spp. secretar fosfolipases e proteases também foi testado, através da cultura em ágar gema de ovo e meio base para teste de protease, respectivamente. Um total de 12 cepas foi obtido de tartarugas marinhas, as quais foram identificadas como pertencentes às espécies C. parapsilosis (n=4), C. guilliermondii (n=4), C. tropicalis (n=2), C. albicans (n=1) e C. intermedia (n=1). Quanto aos jabutis, foram isoladas 66 cepas de C. tropicalis (n=27), C. famata (n=27), C. albicans (n=7), C. guilliermondii (n=4) e C. intermedia (n=1). Após a identificação, as cepas foram submetidas ao teste de sensibilidade através do método de microdiluição em caldo, segundo o documento M27-A3, ante aos antifúngicos anfotericina B, itraconazol e fluconazol. As concentrações inibitórias mínimas para anfotericina B, itraconazol e fluconazol variaram de 0,03125-0,5 μg/mL, 0,03125->16 μg/mL e 0,125->64 μg/mL, respectivamente. Ao todo, obtiveram-se 19 cepas resistentes aos derivados azólicos (14 cepas de C. tropicalis e 5 cepas de C. albicans). Quanto à produção de proteases, 11% das cepas secretaram estas enzimas. Por fim, somente 5% das cepas produziram fosfolipases. Desta forma, o presente estudo sugere que esses animais são carreadores de Candida spp. resistentes a derivados azólicos e produtoras de fatores de virulência, podendo atuar como fonte de infecção para humanos e outros animais.
  • CHARLLINE VLADIA SILVA DE MELO
  • Potencial antifúngico e mecanismo de ação de análogos da isoniazida frente a Coccidioides posadasii
  • Advisor : ROSSANA DE AGUIAR CORDEIRO
  • Data: Jul 29, 2014
  • Show resume
  • A Coccidioidomicose é uma micose sistêmica que acomete o homem e outros animais domésticos e silvestres, causada pelo fungo dimórfico geofílico Coccidioides posadasii. Nos últimos anos, a melhoria dos métodos de diagnóstico micológico e o aumento da ocorrência de doenças imunossupressoras causaram grande impacto na incidência das micoses profundas e oportunistas no mundo. Apesar da existência de terapias antifúngicas eficazes contra a coccidioidomicose, a busca por novas drogas para o tratamento desta doença se faz necessária. O objetivo desse estudo foi determinar o efeito inibitório, in vitro, e o mecanismo de ação dos análogos químicos da isoniazida, isolados e em combinação com os antifúngicos anfotericina B (AMB) e itraconazol (ITC), frente a cepas de Coccidioides posadasii (n=12). Os ensaios foram conduzidos por meio do teste de macrodiluição em caldo ou definição da concentração inibitória mínima (CIM) e o sinergismo foi avaliado pelo método do tabuleiro. Os análogos químicos inibiram o crescimento de todas as cepas de C. posadasii testadas, com valores de CIM para cada composto que variaram de 100 a 400 µg/mL-1, para os análogos P3-[N’ (1-nethoxifeniletilideno) isonicotinohidrazida]; P5-[N’- (1-m-tolileilidene) isonicotinohidrazida]; P6- [N’-(1-(4-metilfenil)etilideno) isonicotinohidrazida] de 25 a 100 µg/mL-1 para a PACT- N’- (1-feniletilideno) isonicotinohidrazida e de 0,0625 a 0,125 µg/mL -1 para AMB e 0,125 a 0,5 µg/mL-1 para ITC. Foi observado sinergismo entre os análogos da isoniazida e os antifúngicos, sendo os melhores resultados obtidos com as drogas P6 e PACT. Para investigação do mecanismo de ação, foi avaliado o efeito de cada droga sobre o teor de ergosterol celular e permeabilidade da membrana plasmática. Foi observado que os análogos da isoniazida isolados e em combinação com antifúngicos foram capazes de causar redução do teor de ergosterol celular; apenas os análogos P3 e P6 foram capazes de alterar a permeabilidade da membrana plasmática nas condições testadas. Em conclusão, os resultados mostram que os análogos derivados da isoniazida possuem atividade inibitória frente a C. posadasii.
  • FRANCISCO MÁRIO SIDNEY OLIVEIRA
  • Detecção de coronavírus humanos em pacientes pediátricos com pneumonia atendidos em um hospital de referência em fortaleza-ce nos anos de 2011 e 2012
  • Advisor : FERNANDA EDNA ARAUJO MOURA
  • Data: Jul 15, 2014
  • Show resume
  • Quatro genótipos de coronavírus humano (CoVh-229E, OC43, NL63 e HKU1) são frequentemente associados a doenças no trato respiratório superior como também no inferior. A epidemiologia dos CoVh no Brasil é pouco conhecida e precisa ser mais estudada para o maior entendimento sobre esses vírus em território nacional. O presente estudo teve como objetivo principal: descrever o perfil clínico-epidemiológico das pneumonias positivas para os coronavírus humano em pacientes atendidos na emergência e nas enfermarias do Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS), na cidade de Fortaleza – Ceará, no período de janeiro de 2011 a outubro de 2012. Para tanto, foram coletadas 522 amostras de pneumonia, onde a princípio foi utilizada a técnica de imunofluorescência (IFA) para detecção dos vírus influenza A, sincicial respiratório (VSRh), adenovírus (ADVh), e parainfluenza 1, 2 e 3 (VPIh 1, 2 e 3), sendo 99 (19%) amostras positivas por esta técnica. As amostras negativas por IFA foram submetidas à reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR) para detecção dos CoVh. Das 423 amostras negativas por IFA, 71 (16,80%) tiveram o resultado positivo para os CoVh, onde o tipo 229E foi o mais frequente (34,11%), seguidos pelos tipos OC43 e NL63 com (28,23%) cada e como menor detecção o HKU1 (9,4%). Todos os tipos de CoVh puderam ser observados no dois anos de estudo. Uma taxa de 67,60% das crianças infectadas pelos CoVh foram atendidas na emergência, mas vale ressaltar a alta taxa de detecção em pacientes hospitalizados (32,40%). Quanto aos sinais e sintomas clínicos, observamos uma maior frequência de coriza, tosse, febre e dispnéia nos pacientes positivos para os CoVh. Identificamos o tipo HKU1 em um caso de óbito de uma criança de um mês, onde o único fator de risco observado foi à idade. Nossos resultados demonstram a circulação de quatro tipos de CoVh no nordeste do Brasil, sendo detectados em pacientes pediátricos com pneumonia, mostrando a importância desses vírus em síndromes respiratórias mais graves. Este estudo representa a primeira análise sobre a epidemiologia dos CoVh em nosso estado.
  • SAMUEL ARRUDA RODRIGUES PEREIRA
  • Adenovírus em infecções respiratórias agudas infantis em Fortaleza-ce de 2001 a 2013
  • Advisor : FERNANDA EDNA ARAUJO MOURA
  • Data: Jul 15, 2014
  • Show resume
  • O adenovírus humano (ADVh) é um agente viral comumente relacionado a infecções do trato respiratório, tanto superior quanto inferior, principalmente em crianças com idade inferior a cinco anos. Os ADVh são classificados em sete espécie (A-G) e divididos em 54 tipos. A proteína hexon é a principal responsável pela variação antigênica inter e intragrupos desse vírus. O objetivo desse estudo foi caracterizar os períodos de circulação e a diversidade de espécie e tipos de ADVh encontrados em Fortaleza, Ceará – Brasil, durante 150 meses consecutivos (janeiro de 2001 a junho de 2013). A imunofluorescência indireta (IFI) foi utilizada para a detecção dos ADVh, vírus sincicial respiratório, influenza A e B, parainfluenza 1, 2 e 3, já a imunofluorescência direta (IFD) foi utilizado na detecção do metapneumovírus humano (MPVh) . A PCR e Nested-PCR seguida do sequenciamento das seis primeiras regiões hipervariável do gene Hexon foram utilizadas para caracterizar as espécies e tipos dos ADVh. Os ADVh foram detectados 290 (3,41%) das 8.517 amostras, sendo 60 (20,69%) destas encontradas em coinfecção com um, dois ou três vírus. Um total de 190 (65,52%) ADVh foram molecularmente caracterizados, sendo 162 pertencente à espécie ADVh-B (85,72%), 21 à ADVh-C (11,11%) e 6 à ADVh-E (3,17%), ficando um cepa sem identificação. As espécies circularam durante todo o período analisados sendo observado o predomínio da espécie B em quase todos os anos. Sete diferentes tipos foram identificados circulando em Fortaleza durante o período analisado. Os tipos predominantes foram o 3 (67,73%) e o 7 (17,80%). O ADVh-3 foi encontrado em todos os anos, já o ADVh-7 não foi observado nos anos de 2006, 2010 e 2011. Somente em 2011 todos os tipos identificados da espécie C circularam, e o único representante da espécie E, o ADVh-4, começou a ser identificado na nossa população apenas a partir de 2007. O melhor conhecimento da circulação de ADVh poderá ser alcançado se a vigilância for contínua e associada ao uso de métodos de maior sensibilidade na detecção desses vírus.
  • CAROLINE MARY GURGEL DIAS FLORENCIO
  • Infecções hospitalares em Pediatria: a importância dos vírus respiratórios como agentes destas enfermidades
  • Advisor : FERNANDA EDNA ARAUJO MOURA
  • Data: Jul 14, 2014
  • Show resume
  • As infecções hospitalares (IH) são um sério problema de saúde pública. O conhecimento sobre a etiologia das IH é importante para o desenvolvimento de medidas de controle, prevenção e tratamento. A importância dos vírus na etiologia das IH tem sido estudada em populações consideradas de risco, como prematuros, cardiopatas, pneumopatas e imunodeprimidos. As infecções respiratórias agudas hospitalares (IRAH) geram aos pacientes desconforto, adiamento de intervenções médicas, complicações pós-cirúrgicas, uso adicional de medicamentos e, em alguns casos, cuidados intensivos, podendo cursar para a cura ou para o óbito. Os vírus são responsáveis por surtos de IRAH em enfermarias e unidades de terapia intensiva, sendo o vírus sincicial respiratório o mais detectado. Em nosso país são escassos os dados sobre o impacto das IRAH causadas por vírus respiratórios em pediatria. Os objetivos deste estudo foram: identificar e descrever os casos de IRAH em crianças e submeter aspirados de nasofaringe coletados no período de janeiro a dezembro de 2013 ao diagnóstico molecular para pesquisa de 13 vírus respiratórios [vírus sincicial respiratório (VSR), adenovírus, influenza A e B, parainfluenza 1, 2, 3 e 4, metapneumovírus e coronavírus humanos OC43, NL63, 229E e HKU-1]. Para tanto, as amostras foram extraídas para obtenção do material genético viral e, posteriormente, para os vírus de RNA, parte deste produto foi transformada em DNA complementar e depois a amplificado. Para detecção do adenovírus, foram realizados PCR e Nested PCR. No período de estudo, 120 amostras foram incluídas e 65% delas foram positivas para pelo menos um vírus. Um total de 114 vírus foram detectados (33 VSR; 32 adenovírus; 14 parainfluenza-3; 14 influenza A; 12 parainfluenza-4; 5 parainfluenza-1; 3 metapneumovírus e 1 coronavírus OC43). Co-detecções ocorreram em 26 casos: 16 com dois vírus e 10 com três vírus. Não foram observadas diferenças clínicas entre as IRAH positivas e negativas para os vírus pesquisados. Vírus respiratórios foram identificados em quatro dos cinco casos de óbito (4,16%; 5/120) associados à IRAH. O conhecimento sobre a ocorrência da IRAH virais em associação com o período de circulação dos vírus na comunidade, como descrito no estudo, permite desenvolver ações específicas de medidas para prevenir e controlar surtos hospitalares causados pelos vírus.
  • TATIANA DANTAS RODRIGUES LAPRANO
  • Associação dos polimorfismos nos genes de reparo ape-1 (asp148glu) e parp-1 (val762glu) com neoplasia intraepitelial cervical causadas pelo papilomavirus humano.
  • Advisor : SILVIA HELENA BAREM RABENHORST
  • Data: Jun 9, 2014
  • Show resume
  • O alto grau de neoplasia intra-epitelial cervical doença (NIC) é a lesão precursora do câncer do colo do útero, o segundo tipo de câncer mais comum em mulheres em todo o mundo. Enzimas de reparo são importantes para a integridade genômica e polimorfismo em genes de reparo por excisão de base de DNA (BER) podem ser relevantes para a suscetibilidade de lesões cervicais. Portanto, este estudo teve como objetivo investigar a associação de polimorfismos em genes BER APE- 1 T2197G ( Asp148Glu ) e PARP- 1 A40676G ( Val762Ala ) em lesões precursoras do colo do útero, associando com o cigarro, consumação álcool, a idade de início de atividade sexual e número de parceiros sexuais por ano. Materiais e Métodos - Este estudo de caso-controle participaram 203 mulheres. Das quais: 104 pacientes com indicação de biópsia, 75 foram NIC positivos e 29 NIC negativo. Os 99 casos restantes foram considerados grupo controle. Os polimorfismos dos genes de reparo de DNA, APE- 1 T > G e PARP- 1 T> C foi determinada por PCR- RFLP. Resultados - Os pacientes incluídos no estudo tinham idade entre 14-50 anos (média 24 anos). Entre os casos de NIC (+), 66,7 % foram NIC I e 33,3% NIC II / NICIII. Nenhuma associação foi observada para os genótipos de APE- 1, mas uma baixa frequência do genótipo heterozigoto de PARP- 1 foi associado a NIC I comparado ao grupo controle. Considerando-se os fatores de risco, o genótipo TC de PARP- 1 conferiu proteção para o desenvolvimento NIC, considerando consumação de álcool (p = 0,038), a vida sexual início antes dos 18 anos de idade (p = 0,044) e 0-1 número de parceiros (p = 0,001 ) para o desenvolvimento NIC, quando comparado com o controle. Além disso, o genótipo TC de PARP- 1 conferiu proteção para o desenvolvimento NIC entre os pacientes que tiveram baixa exposição ao risco e entre os pacientes que começaram a vida sexual antes dos 18 anos de idade quando comparado com o genótipo TT de PARP- 1. Este último resultado também foi observado quando os NIC (-) foram considerados como controle. No entanto, um risco foi observada entre os pacientes que relataram ter > 1 parceiro sexual/ano. Levando-se em conta a exposição a fatores de risco, tendo como referência a menor exposição, observou-se que o genótipo TT conferia uma proteção para o desenvolvimento NIC em usuários de cigarro (p= 0,017; OR= 0,100) e para pacientes que relataram ter > 1 parceiro sexual/ano (p = 0,000; OR= 0,063). Considerando-se os subtipos de NIC, uma baixa frequência do genótipo TC foi observada em pacientes NIC I que relataram ter 0-1 parceiro sexual/ano (p= 0,003; OR= 0,150) e um risco entre os pacientes que tiveram > 1 parceiro/ano, (p= 0,015; OR= 28,000). Conclusão - Estes dados sugerem que a eficácia no reparo do DNA que envolve a PARP- 1 é um balanço entre o genótipo e a exposição do fator de risco, tais como o uso do cigarro e número de parceiros sexuais, em que a eficiência do genótipo heterozigótico para a reparação do DNA está dependente da exposição ao risco. Este estudo adicionou dados para a associação do polimorfismo de PARP- 1 Val762Ala ( T40676C ) com NIC e foi o primeiro a incluir o APE- 1 Asp148Glu ( T2197G ) com NIC.
  • BRUNO JAEGGER LARANJEIRA
  • Resistência antimicrobiana, genotipagem capsular e detecção de genes de resistência de Streptococcus pneumoniae isolados de crianças não vacinadas usuárias de creches em Fortaleza.

  • Advisor : CIBELE BARRETO MANO DE CARVALHO
  • Data: Mar 14, 2014
  • Show resume
  • O Streptococcus (S.) pneumoniae é considerado como o principal agente causador de morbidade e mortalidade em crianças menores de cinco anos de idade. As doenças pneumocócicas começam com o estabelecimento da colonização do S. pneumoniae na nasofaringe. O principal fator de risco para colonização é o confinamento, como em crianças que frequentam creches. Nas últimas décadas, o aumento do número de cepas de S. pneumoniae resistentes à antibióticos β-lactâmicos e a outras classes de antimicrobianos tem dificultado o tratamento da infecção pneumocócica. Atualmente cerca de 13 sorotipos de S. pneumoniae respondem por mais de 85% dos isolados invasivos. A vacina pneumocócica polissacarídica conjugada 10-valente (VPC-10) foi recentemente incluída no calendário de vacinação nacional. Os objetivos desse estudo foram determinar a prevalência, a resistência antimicrobiana, os genótipos de S. pneumoniae que colonizam a nasofaringe de crianças usuárias de creches em Fortaleza, Brasil, bem como para avaliar a cobertura potencial da VPC-10. Entre janeiro e dezembro de 2011, os isolados de crianças portadores foram recuperados a partir de swabs de nasofaringe. Foram determinadas as sensibilidades para penicilina, ceftriaxona, sulfametoxazol/trimetoprim, amoxilina, clindamicina e eritromicina, das cepas isoladas utilizando-se o método de e-test.. A detecção dos genes de resistência à penicilina foi realizada por PCR. A genotipagem capsular dos isolados de portadores foi realizada pela técnica de multiplex PCR. De 291 crianças usuárias de creches, foram isolados S. pneumoniae em 165 (56,7%). Dos 162 isolados de portadores foi encontrada uma taxa resistência de 27,8% para penicilina, de 75,3% para sulfametoxazol/trimetoprim, de 13,6% para eritromicina e 10,5% para clindamicina. Não foi detectada resistência à ceftriaxona e à amoxicilina. A porcentagem de isolados de S. pneumoniae com mutação em pelo menos um dos genes que determinam resistência à penicilina foi de 68,2%. Os genótipos capsulares de 115 isolados, dos 129 viáveis, foram identificados. Os genótipos mais comuns foram 6A/6B, 14, 15B/15C, 19F e 23F, com os sorotipos 6A/6B, 14, 19F e 23F mais associados com a resistência. A cobertura estimada para VPC-10 foi de 74.4%.

  • SABRYNNA BRITO OLIVEIRA
  •  

    Vírus sincicial respiratório humano em pneumonias adquiridas na comunidade em dois anos consecutivos de vigilância em um hospital infantil de Fortaleza.

  • Advisor : FERNANDA EDNA ARAUJO MOURA
  • Data: Jan 17, 2014
  • Show resume
  • O Vírus Sincicial Respiratório Humano (VSRH) é o principal agente viral causador de infecções respiratórias agudas (IRAs) do trato respiratório inferior em crianças de até cinco anos de idade. A exemplo dessas infecções pode-se citar a Pneumonia Adquirida na Comunidade (PAC) que representa a principal causa de óbito entre as doenças infecciosas nessa faixa etária. A correta identificação do agente causador da PAC é importante para a instituição do tratamento correto, evitando, assim, o uso indevido de antibióticos e prevenindo infecções hospitalares. Os objetivos desse estudo foram verificar o percentual de detecção de VSRH em casos de PAC na cidade de Fortaleza, Ceará – Brasil, nos anos de 2010 e 2011 através das técnicas de imunofluorescência indireta (IFI) e da reação em cadeia da polimerase precedida de transcrição reversa do RNA viral (RT-PCR), além de verificar se há diferença significativa na epidemiologia e sazonalidade do VSRH quando comparados os resultados entre as técnicas utilizadas. Resultados: Das 483 amostras de PAC, 195 (40.37%) foram diagnosticadas em 2010 e 288 (59.63%) em 2011. Do total, 55 amostras (11.38%) foram positivas para VSRH pela técnica de IFI e 97 (20.08%) pela técnica de RT-PCR. Houve um aumento significativo de 43.29% no total de amostras positivas para VSRH por RT-PCR, quando comparado com a técnica de IFI (p=0,0000). Observou-se que VSRH não seguiu o mesmo padrão sazonal quando comparados os anos de 2010 e 2011. Os casos positivos de 2011 aconteceram principalmente nos meses de março e abril, três meses antes dos casos positivos de 2010, que ocorreram nos meses de maio, junho, julho e agosto (p=0,0000). Observou-se que o pico de positividade não esteve relacionado com todos os picos de chuvas do ano correspondente e ainda que a positividade entre as duas técnicas apresentou picos em meses distintos.

2013
Description
  • JONATHAS SALES DE OLIVEIRA
  •  

    Sensibilidade a antifúngicos, atividade exoenzimática e produção de biofilme por cepas de Candida tropicalis de origem animal

  • Advisor : ROSSANA DE AGUIAR CORDEIRO
  • Data: Dec 19, 2013
  • Show resume
  •  

     

    Nos últimos anos houve um aumento significativo na incidência de infecções fúngicas causadas por leveduras do gênero Candida. Apesar de C. albicans ser considerada a principal representante do gênero, outras espécies vêm ganhando destaque. C. tropicalis, por exemplo, tem sido associada à cadidíases invasivas graves, sendo a primeira ou segunda espécie de Candida não-albicans mais comumente isolada em candidemia e candidúria em humanos, além de ser frequentemente isolada da microbiota de animais saudáveis e com candidíase. Para estabelecer a infecção, C. tropicalis expressa diversos fatores de virulência, como a secreção de adesinas e exoenzimas, a produção de biofilme, dentre outros. O presente trabalho buscou avaliar o perfil de sensibilidade antifúngica in vitro e produção de fatores de virulência de cepas de C. tropicalis isoladas de animais clinicamente saudáveis. Para tanto, foram utilizadas 100 cepas de C. tropicalis isoladas de diferentes espécies animais, mantidas na coleção de culturas do Centro Especializado em Micologia Médica, da Universidade Federal do Ceará. As cepas foram submetidas a teste de sensibilidade in vitro, por meio do método de microdiluição em caldo frente anfotericina B, itraconazol e fluconazol. Foram avaliados ainda os atributos de virulência: produção de enzimas proteases em pH 5,0 e pH 3,5, fosfolipases e biofilme. Quanto ao perfil de sensibilidade das cepas de C. tropicalis, 38% foram resistentes a itraconazol (CIM 1.0–>16.0), 39% resistentes a fluconazol (CIM 8.0–>64.0) e 31% foram resistentes a ambos os derivados azólicos. Nenhuma cepa apresentou resistência a anfotericina B (CIM 0.06–1.0). Quanto a produção de proteases, 84% das cepas secretaram estas enzimas em meio com pH 5,0, enquanto somente 40% das cepas foram ativas em pH 3,5. Somente 8% das cepas produziram fosfolipases. As cepas apresentaram padrão diferenciado na produção de biofilme, em que 86% foram consideradas forte produtoras, 12% foram consideradas produtoras moderadas e 2% foram consideradas fracas produtoras. Em suma, os isolados de C. tropicalis provenientes de animais apresentaram resistência a derivados azólicos e expressaram fatores de virulência importantes, indicando potencial risco à saúde humana e animal.

  • RITA AMANDA CHAVES DE LIMA
  •  

     

    Estudo dos fungos dimórficos Coccidiodes posadasii e Histoplasma capsulatum var. capsulatum: Caracterização laboratorial com ênfase no perfil de sensibilidade ao sesquiterpeno farnesol, in vitro

  • Advisor : RAIMUNDA SAMIA NOGUEIRA BRILHANTE
  • Data: Dec 13, 2013
  • Show resume
  •  

    Os fungos dimórficos Coccidioides spp. e Histoplasma capsulatum var. capsulatum, são os agentes causadores da coccidioidomicose e da histoplasmose, respectivamente, sendo capazes de acometer o homem e outros animais. A genética das populações H. capsulatum var. capsulatum têm sido caracterizadas mundialmente. Contudo, para Coccidioides spp. ainda há escassez de estudos de variabilidade genética, especialmente em isolados de C. posadasii do Brasil. De modo geral, a terapia antifúngica contra essas micoses é efetiva, embora em quadros crônicos ou disseminados, o tratamento seja muitas vezes, prolongado e difícil de tolerar. Ademais, casos refratários e recidivos já foram descritos. Recentemente, foi demonstrada a capacidade de H. capsulatum var. capsulatum de formar biofilme. Pouco se sabe qual o papel desse mecanismo na patogênese da histoplasmose e nenhum relato sobre a sensibilidade a antifúngicos do biofilme de H. capsulatum var. capsulatum, foi descrito até o momento. Na busca por novos compostos com atividade antifúngica, o sesquiterpeno farnesol tem se destacado por seu efeito inibitório sobre o crescimento de bactérias e fungos. Diante do exposto, o presente trabalho teve por objetivo realizar a caracterização molecular de isolados brasileiros de C. posadasii, bem como, determinar o efeito in vitro do farnesol ante aos fungos dimórficos C. posadasii e Histoplasma capsulatum var. capsulatum, avaliando sua atuação sobre o crescimento fúngico, sensibilidade aos antifúngicos, permeabilidade celular, produção de ergosterol e sobre o crescimento em biofilme. Para tanto, cepas de C. posadasii foram avaliadas por meio das técnicas de RAPD e M13-fingerprinting e pelo método de macrodiluição para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) de farnesol e suas combinações com antifúngicos. C. posadasii também foi submetido quantificação do ergosterol após a exposição concentrações sub-inibitórias de farnesol. Ademais, a atividade do farnesol ante C. posadasii também foi avaliada na presença de estresse osmótico, induzido por adição de NaCl ao meio de cultura, durante os ensaios de sensibilidade. Por fim, cepas de H. capsulatum foram avaliadas na fase filamentosa e na fase leveduriforme, pelo método de microdiluição com farnesol e suas combinações com antifúngicos. A sensibilidade antifúngica destas drogas ante H. capsulatum também foi avaliada sob a forma de biofilme. Os resultados de RAPD e M13-fingerprinting mostraram perfis eletroforéticos semelhantes, mostrando poucos polimorfismos entres os isolados. O farnesol exibiu valores de CIMs baixos, variando de 0,0078- 0,0616 µM para C. posadasii e de 0,0078- 0,0312 para H. capsulatum. A combinação de farnesol com o antifúngicos mostraram efeitos sinérgicos (FICI ≤ 0,5) em ambas as espécies. A quantificação de ergosterol, mostrou que a exposição a concentrações sub-inibitórias de farnesol diminuiu a quantidade de ergosterol extraído das células fúngicas e CIM’s mais baixos foram encontrados para o farnesol quando as cepas foram submetidas a estresse osmótico, indicando que esse composto atua na membrana fúngica. As drogas testadas frente a biofilme apresentaram efeito inibitório, contudo nenhuma foi capaz de inibir 80-100% do crescimento fúngico, mesmo em concentrações 100 vezes acima da CIM de cada droga ante H. capsulatum sob a forma planctônica. As combinações de farnesol com itraconazol e com anfotericina B apresentaram as maiores porcentagens de redução do crescimento fúngico. Em conclusão, o farnesol apresentou resultados promissores como agente antifúngico ante C. posadasii e H. capsulatum, apresentando também ação adjuvante aumentando a sensibilidade aos antifúngicos in vitro. Além disso, este estudo contribuiu para caracterização do perfil de sensibilidade do biofilme de H. capsulatum in vitro, bem como para caracterização genética dos isolados de C. posadasii do Brasil

  • FRANCISCA JAKELYNE DE FARIAS MARQUES
  •  

     

    Efeito inibitório de drogas antituberculose frente à Histoplasma capsulatum var. capsulatum e Cryptococcus spp.: síntese de análogos químicos, atividade antifúngica in vitro e mecanismo de ação.

  • Data: Dec 12, 2013
  • Show resume
  • Nos últimos anos, os avanços na terapia imunossupressora, a melhoria dos métodos de diagnóstico e o crescimento do número de pacientes com HIV/aids têm contribuído para o aumento de casos de doenças oportunistas, principalmente aquelas relacionadas a infecções fúngicas sistêmicas. A histoplasmose clássica e a criptococose são micoses profundas de caráter oportunista, potencialmente fatais em pacientes imunodeprimidos, que podem mimetizar a tuberculose quanto aos aspectos clínicos e radiológicos em pacientes com acometimento pulmonar. Embora haja terapêutica disponível para o tratamento dessas infecções, casos de histoplasmose e criptococose refratárias às drogas antifúngicas convencionais estão sendo descritos, o que vêm estimulando a busca de novos compostos com potencial antifúngico para a terapia dessas micoses. O objetivo deste trabalho foi sintetizar hidrazonas derivadas da droga antituberculose isoniazida (INH) e determinar o efeito inibitório, in vitro, desses compostos isolados e em combinação com anfotericina B (AMB) contra cepas de Histoplasma capsulatum var. capsulatum (n=25) na forma planctônica e biofilme. Além de avaliar o potencial antifúngico in vitro das drogas INH e etionamida (ETH) sozinhas e em associação com os derivados azólicos frente a espécies de Cryptococcus. Este estudo também buscou investigar os mecanismos de ação envolvidos na atividade antifúngica das drogas sobre as células dos referidos fungos e sobre a taxa de morte intracelular de H. capsulatum mediada por macrófagos. A síntese dos compostos foi realizada a partir da reação entre INH e várias cetonas em radiação de micro-ondas, sendo o efeito citotóxico dos análogos verificado em culturas de células humanas. Todas as drogas foram analisadas pela técnica de microdiluição em caldo, documento M27-A3 preconizado pelo CLSI. A extração dos esteróis e a permeabilidade da membrana fúngica foram averiguadas, respectivamente, por saponificação com aquecimento e por meio da leitura do sobrenadante da suspensão fúngica em comprimento de onda de 260 e 280 nm. Foram sintetizadas nove hidrazonas as quais não mostraram toxicidade frente à células humanas. Todos os compostos inibiram o crescimento in vitro das cepas de H. capsulatum nas fases filamentosa e leveduriforme; dentre os quais, N'-(1-feniletilideno)isonicotinahidrazida - [N'-(1-fenil)] apresentou menores valores de concentração inibitória mínima, que variaram de 7,8 a 250 µg/mL, sendo observado também efeito sinérgico com AMB contra células planctônicas, células leveduriformes fagocitadas por macrófagos e biofilme maduro de H. capsulatum. Ademais, as drogas INH e ETH apresentaram efeito inibitório in vitro contra C. neoformans (n=15) e C. gattii (n=12) na forma planctônica e biofilme maduro, além de reduzir a atividade metabólica do biofilme em formação em ambas as espécies. INH e ETH também apresentaram sinergismo quando combinadas com os derivados azólicos fluconazol e itraconazol frente a cepas de Cryptococcus. O estudo mostrou ainda que N'-(1-fenil) e as drogas antituberculose isoladas são capazes de reduzir o teor de ergosterol total das células planctônicas e alterar a permeabilidade da membrana dos fungos testados, o que demonstra a capacidade dessas drogas em permeabilizar e desestabilizar a membrana celular fúngica. Os resultados abrem novas perspectivas para a busca de potenciais drogas antifúngicas e a descoberta de alvos moleculares inovadores contra células planctônicas e biofilme de H. capsulatum e espécies do Complexo C. neoformans/C. gattii.

  • NAYARA SANTOS DE OLIVEIRA
  • Streptococcus pneumoniae: Sensibilidade a Antimicrobianos e Detecção de Genes de Resistência Isolados de Crianças com Pneumonia Adquirida na Comunidade em Fortaleza, Ceará

  • Advisor : CIBELE BARRETO MANO DE CARVALHO
  • Data: Dec 10, 2013
  • Show resume
  • A infecção respiratória aguda (IRA) é uma síndrome clínica, onde cerca de 80% das mortes são atribuídas a pneumonia, uma doença grave que atinge o trato respiratório inferior. O agente etiológico comumente isolado na pneumonia adquirida na comunidade (PAC) é o Streptococcus pneumoniae (S. pneumoniae). As doenças pneumocócicas começam com a colonização do S. pneumoniae na nasofaringe, podendo progredir para doença invasiva. Nas últimas décadas, o aumento do número de cepas de S. pneumoniae resistentes a antibióticos β-lactâmicos e a macrolídeos tem dificultado o tratamento das infecções pneumocócicas. Os objetivos desse estudo foram determinar à prevalência de S. pneumoniae em crianças com PAC, o perfil de sensibilidade a antimicrobianos e distribuição dos sorotipos, em Fortaleza, Brasil. As cepas de S. pneumoniae foram isoladas de aspirados de nasofaringe de crianças com PAC atendidas no Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS). Para a determinação das Concentrações Inibitórias Mínimas (CIM) foi utilizado o método de E-test para os seguintes antimicrobianos: penicilina, ceftriaxona, sulfametoxazol/trimetoprim, amoxicilina, clindamicina e eritromicina. A genotipagem das cepas de S. pneumoniae foi realizada pela técnica de multiplex PCR. De 527 amostras de crianças com PAC, foram isolados S. pneumoniae em 30,17%. De 126 isolados de portadores foi encontrada uma taxa resistência de 25,8% para penicilina, de 81,2% para sulfametoxazol/trimetoprim, de 21,4% para eritromicina, de 19% para clindamicina e de 0,8% para ceftriaxona e amoxicilina. Das 102 cepas genotipadas, os sorotipos mais comumente encontrados foram 6A/6B, seguido do 14, 19A e 19F. Foram selecionadas 29 cepas resistentes à penicilina para detecção das alterações proteínas de ligação a penicilina (PLP). Foi encontrada alteração na plp 1a em 69%, já para as plp 2b e plp 2x todas as cepas testadas apresentaram alteração. Já para clindamicina e eritromicina foram selecionados 24 cepas para detecção do gene ermB. Das 24 cepas testadas 79,2% possuíam o gene ermB. O presente trabalho gerou dados sobre a prevalência de crianças portadoras com PAC de S. pneumoniae, revelou dados fenotípicos e genotípicos acerca da resistência dos isolados frente aos antimicrobianos utilizados na clinica e a distribuição dos sorotipos do pneumococo de crianças com PAC atendidas no HIAS.

  • TEREZINHA DE JESUS SANTOS RODRIGUES
  •  

    Cepas do complexo Candida parapsilosis de origem veterinária: classificação taxonômica, sensibilidade antifúngica e atributos de virulência in vitro

  • Data: Oct 29, 2013
  • Show resume
  •  

    Mudanças importantes na epidemiologia das infecções fúngicas nas últimas décadas têm resultado no isolamento frequente de leveduras do gênero Candida. As leveduras do complexo Candida parapsilosis, por exemplo, têm sido apontadas tanto como agentes de infecções como componentes da microbiota de animais. Diante disso, os objetivos deste trabalho foram realizar a identificação molecular de cepas do complexo C. parapsilosis isoladas de fontes veterinárias e mantidas em nossa micoteca; assim como avaliar seus atributos de virulência e perfil de sensibilidade a antifúngicos, in vitro. Para tanto, foram utilizados 28 isolados de C. parapsilosis lato sensu obtidos de cães, psitacídeos e camarão. Inicialmente foi realizada a fenotipagem das cepas, com base na análise de suas características morfológicas e bioquímicas, que as ratificou como C. parapsilosis lato sensu. A identificação molecular das espécies foi realizada por PCR-REA. A fim de analisar o perfil de sensibilidade das cepas, empregou-se o teste de microdiluição em caldo com anfotericina B, itraconazol, fluconazol, voriconazol e caspofungina, segundo metodologia padronizada pelo Clinical Laboratory Standards Institute (documento M27-A3). No tocante aos atributos de virulência, a capacidade da produção de fosfolipases foi avaliada pelo método de cultivo em ágar gema de ovo. Enquanto que a produção de proteases foi analisada através de cultivo em ágar albumina bovina. A formação de biofilme, por sua vez, foi analisada em microplaca de poliestireno com 96 poços. A análise genotípica evidenciou 13 C. parapsilosis (stricto sensu), 10 C. orthopsilosis e 05 C. metapsilosis. As concentrações inibitórias mínimas (CIM) variaram de 0,125 a 1 μg/mL para anfotericina B, de 0,5 a 16 μg/mL para fluconazol, de 0,03125 a 0,5 μg/mL para itraconazol, de 0,03125 a 0,25 μg/mL para voriconazol e de 0,0625 a 2 μg/mL para caspofungina. Foi observada resistência em 03 cepas de C. parapsilosis (stricto sensu) ao fluconazol e em 01 cepa à caspofungina. No que tange aos isolados de C. orthopsilosis, notou-se que 05 isolados foram resistentes à caspofungina. Enquanto que, 02 isolados de C. metapsilosis revelaram-se resistentes ao fluconazol. Quanto aos atributos de virulência, todas as cepas foram capazes de formar biofilmes, sendo, 20, 7 e 01, classificadas como produtoras moderadas, fortes e fracas, respectivamente. Observou-se ainda que 23/28 isolados apresentaram atividade proteolítica Por outro lado, nenhuma foi capaz de produzir fosfolipases. Os dados encontrados sinalizam que padrões de virulência, patogenicidade e sensibilidade antifúngica, in vitro, podem variar entre as espécies do complexo C. parapsilosis.

  • CAMILA ALENCAR MOREIRA
  •  

    Estudo de sensibilidade do Biofilme de Burkholderia pseudomallei contra antibióticos de uso clínico e Farnesol

  • Advisor : CIBELE BARRETO MANO DE CARVALHO
  • Data: Sep 27, 2013
  • Show resume
  •  

    A melioidose é uma doença infeciosa emergente, notadamente no nordeste do Brasil, com sérias implicações no ambiente internacional e é um problema de sáude pública. Causada pelo bacilo Burkholderia pseudomallei, esta infecção se apresenta desde quadros assintomáticos a quadros graves e frequentemente fatais. As altas taxas de mortalidade da doença (20 a 50%) a tornam uma prioridade para agências de fomento e orgãos de saúde globais. No Brasil, casos de melioidose foram relatados pela primeira vez em 2003, no município de Tejuçuoca no Ceará. Desde então, novos casos de melioidose foram diagnosticados em outros seis municípios cearenses. B. pseudomallei é intrinsecamente resistente a muitos antibióticos e estudos já descrevem casos resistência aos antimicrobianos utilizados no tratamento da melioidose. A investigação da capacidade de formação de biofilme por B. pseudomallei parece ser fundamental, já que o biofilme permite o desenvolvimento de microcolônias dentro de um ambiente protegido, o qual se relaciona com a proteção ambiental, adesão, colonização, evasão do sistema imune e ligação a células ambientais. Diante desses fatos, o desenvolvimento de alternativas terapêuticas antibiofilme, incluindo novas drogas, é necessário. Com efeito, este estudo teve como objetivo caracterizar as cepas de B. pseudomallei da coleção do LAPERE quanto à capacidade de produção de biofilme e a sensibilidade em crescimento planctônico e em biofilme. As drogas selecionadas foram: ceftazidima (CAZ), doxiciclina (DOX), imipenem (IPM), amoxicilina/clavulanato (AMC) e sulfametoxazol/trimetoprim (SXT); e farnesol. Todas as cepas foram classificadas como produtoras de biofilme, sendo divididas em: forte (5 cepas), moderada (3 cepas), e fraca (1 cepa). Valores médios de concentração inibitória mínima (MIC), concentração inibitória mínima em biofilme (MBIC) e concentração de erradicação mínima em biofilme (MBEC) foram determinados para estas cepas: para AMC – MIC: 10,2/5,1 mg/L, MBIC 21,3/10,6 mg/L e MBEC 27,6/13,8 mg/L; para CAZ MIC 5,6 mg/L, MBIC 120,4 mg/L e MBEC 419,6 mg/L; para DOX – MIC 0,28 mg/L), MBIC 1,3 mg/L e MBEC 3,8 mg/L; para IPM – MIC 0,597 mg/L, MBIC 256 mg/L e MBEC > 256 mg/L; para SXT – MIC 1,25/23,75 mg/L, MBIC 0,5/9,5 mg/L e MBEC < 0,72/13,72 mg/L; e para farnesol MIC = MBIC 150 mM/L. Os dados obtidos apontam especialmente para o potencial terapêutico de três dos antibióticos estudados - AMC, DOX e SXT; e o farnesol no tratamento de infecções por B. pseudomallei associadas a biofilme, sendo necessários novos estudos para investigar os mecanismos de ação dessas drogas sobre o biofilme, bem como o delineamento de experimentos in vivo para confirmar a significância desses achados clinicamente. Ademais, o crescimento dessas cepas em condições de formação de melanina e biofilme evidenciou que esta associação torna as cepas mais resistentes à ação de imipenem e farnesol.

  • ÉRIKA HARDY LEMOS
  •  

    Associação da expressão das proteínas Ki-67 e MYC com papilomavírus humano


    (HPV), detectado por hibridação in situ, em neoplasia intraepitelial cervical


     (NIC).

  • Advisor : SILVIA HELENA BAREM RABENHORST
  • Data: Sep 9, 2013
  • Show resume
  • O câncer de colo uterino é, mundialmente, o terceiro tipo de câncer mais comum entre as mulheres sendo, por isso, considerado um evidente problema de saúde pública. Os estudos epidemiológico e a biologia molecular revelam ser a infecção pelo Papillomavírus Humano (HPV) o fator indispensável para o desenvolvimento de lesões pré-malignas culminando com o câncer de colo uterino, em que indentificam presença de DNA desse vírus em mais de 99% dos casos de câncer cervical e em mais de 94% dos casos de Neoplasia Intraepitelial Cervical (NIC). Objetivo – O presente estudo tem como objetivo correlacionar a expressão das proteínas MYC e Ki-67 em pacientes portadoras de Neoplasia Intraepiteliais Cervical (NIC) e associar com a presença do HPV. Materiais e métodos – O estudo contou com 173 pacientes atendidas nos ambulatórios de Patologia Cervical da MEAC, por suspeita de lesão cervical. Em todas as pacientes foi realizado exame ginecológico onde as áreas com lesão colposcópica foram biopsiadas e encaminhadas para o laboratório de patologia humana da Universidade Federal do Ceará (UFC) de onde obteve-se os laudos histopatológicos com os diagnósticos dessas lesões. Os tecidos biopsiados foram submetidos à imunohistoquímica das proteínas celulares (Ki-67 e MYC), através do método da estreptoavidina-biotina-peroxidase e à hibridação in situ para detecção de HPV pelo método GenPoint®. Resultado - As pacientes incluídas no estudo tinha idade de 14 a 54 anos (mediana de 30 anos). O estado civil foi identificado em 67% das pacientes, dessas 48,3% fazem parte do grupo de solteiras. A análise histopatológica revelou para o diagnóstico de NIC, que 41%, eram NIC I, 24,9% NIC II e 34,1% NIC III. Em relação a faixa etária, houve correlação positiva quando associada com o grau de NIC (p = 0,001), estando a maior frequência de NIC III nas pacientes com idade de 31 a 40 anos. A presença de HPV foi investigada em todas as amostras, sendo detectada em apenas 17,3% dos casos. O marcador de proliferação celular KI-67 foi positivo em 80,3% das amostras do estudo. A positividade desse marcador foi de 40,3% em paciente com NIC I, 26,6% com NIC II e 33,1% com NIC III. Considerando a presença de HPV, observou-se que 100% dos casos obteve positividade para o marcador KI-67 (p = 0,000). A análise da expressão nuclear da proteína MYC identificou positividade em 61,8% dos casos. Entre as pacientes com o diagnóstico para NIC, pode-se observar que foi positivo para o marcador MYC, 42% em paciente com NIC I, 26,2 % com NIC II e 31,8% com NIC III. A presença de HPV foi identificada em 83,3% no caso de MYC positivo, mostrando uma correlação positiva (p = 0,007). Assim, com esse estudo, além da identificação viral, foi possível reconhecer a utilização de biomarcadores funcionais, Ki-67 e MYC, como indicadores da progressão da doença e não como sinalizadores da carcinogênese, como normalmente acontece em diferentes tipos de cânceres.

     

     

      

  • VIVIANE DE SOUSA TOMAZ
  •  

    Papel do óxido nítrico no comportamento tipo-depressão induzido por LPS

  • Advisor : DANIELLE MACEDO GASPAR
  • Data: Aug 30, 2013
  • Show resume
  •  

    Os transtornos psiquiátricos, dentre eles a depressão, estão entre as principais causas de incapacidade no mundo. Desta forma, pesquisas a respeito de novas vias envolvidas na fisiopatologia deste transtorno mental que possibilitem a descoberta de novos alvos para o tratamento deste transtorno têm sido amplamente estudados. O óxido nítrico (NO) e a sua enzima de síntese óxido nítrico sintase (NOS) vem sendo relacionados com a depressão e outros transtornos afetivos. Neste contexto buscou-se determinar o efeito do pré-tratamento de drogas que modulam a via do NO em animais submetidos ao desafio imune pela administração sistêmica de LPS (0,5 mg / kg, ip). Para tanto os comportamentos relacionados à depressão, inibição pré-pulso (PPI) e atividade locomotora, 24 h após a administração da endotoxina, respectivamente, ponto de tempo chave para o desenvolvimento de comportamentos tipo depressivo, e neuroquímicas através da avaliação dos níveis de TBARS, Nitrito e GSH nas áreas cerebrais (córtex pré-frontal - CPF, hipocampo - HC e corpo estriado - CE) foram avaliados. Os animais tratados com LPS, bem como os pré-tratados com L-ariginina antes do LPS aumentaram significativamente o tempo de imobilidade no nado forçado em comparação com os controles. Observou-se uma redução significativa no tempo de imobilidade dos animais pré-tratados com aminoguanidina quando em comparação com os animais do grupo controle e LPS. Notavelmente os animais pré-tratados com sildenafil e L-NAME apresentaram uma diminuição significativa do tempo de imobilidade quando comparado ao grupo que recebeu apenas LPS. O resultados mostraram que 24 horas pós a administração de LPS, a atividade locomotora avaliada através do número de cruzamentos no campo aberto, manteve-se inalterada, apenas havendo aumento significativo nos animais tratados com imipramina. Observou-se uma diminuição significativa nos níveis de PPI 24 h após a administração de LPS nas intensidades de pré-pulso de 70, 75 e 80 dB em relação aos animais controle. A administração de todas as outras drogas (imipramina, L-arginina, sildenafil, L-NAME e aminoguanidina), foi capaz de prevenir a redução dos níveis de PPI causada após a administração sistêmica do LPS. Os níveis de GSH diminuiram em todas as áreas cerebrais estudadas, ou seja, córtex pré-frontal, hipocampo e corpo estriado, de animais tratados com LPS quando comparados aos controles. Esta redução foi mantida pelo pré-tratamento com L-arginina no córtex pré-frontal em comparação ao LPS e controle e prevenida pelo pré-tratamento com as drogas imipramina, L-arginina, sildenafil, L-NAME e aminoguanidina. Na avaliação da peroxidação lipídica após a administração do LPS foi evidenciado aumento significativo neste parâmetro. A administração da imipramina manteve o aumento nos níveis de TBARS no córtex pré-frontal e corpo estriado em relação aos animais controle, mas reduziu este parâmetro quando comparado aos animais tratados com LPS. A administração da L-arginina, sildenafil, L-NAME e aminoguanidina reduziu os nível de peroxidação lipídica quando comparado aos animais tratados com LPS em todas as áreas cerebrais estudadas. A pré-administração da imipramina, l-arginina e aminoguanidina foram capazes de prevenir o aumento dos níveis de BDNF causado pela administração sistêmica do LPS. Por outro lado, as análises dos níveis de BDNF 24 h após a administração de LPS dos animais pré-tratados com sildenafil e L-NAME, não demonstraram alterações sisgnificativas. Observou-se um aumento no conteúdo de IL-1β 24 h após a administração de LPS no córtex pré-frontal, hipocampo e corpo estriado, todas as drogas foram capazes de prevenir essas alterações no hipocampo e corpo estriado. O óxido nítrico (NO) desempenha um papel significativo neuromodulador no sistema nervoso central. Qualquer manipulação farmacológica da via de NO pode ser considerado como uma nova abordagem terapêutica para o tratamento de distúrbios do SNC, mais ainda para a depressão mental.

  • INGRID CORDEIRO SAMPAIO
  •  

    Avaliação do transporte de glicose, glutamina e alanil-glutamina em camundongos nutridos, desnutridos, não infectados ou infectados por Escherichia coli enteropatogênica

  • Advisor : ALDO ANGELO MOREIRA LIMA
  • Data: Aug 29, 2013
  • Show resume
  •  

    A Escherichia coli enteropatogênica (EPEC) e a desnutrição são uma das maiores causadoras de morbidade e mortalidade infantil em países subdesenvolvidos. Este estudo propõe avaliar o transporte de Na+-glicose, Na+-glutamina e alanil-glutamina através de medida da corrente de curto circuito (CCC) e da resistência transepitelial (Rt) no íleo de camundongos nutridos e desnutridos infectados com EPEC. Camundongos albinos de 3 a 4 semanas de idade foram submetidos a uma dieta padrão ou a uma dieta multideficiente em proteínas, lipídios e minerais, a Dieta Básica Regional - DBR. Parte desses animais foi submetida à infecção aguda por 3 horas de contato direto com a bactéria em alça ligada. Para comparações, o mesmo foi feito utilizando a bactéria comensal Escherichia coli HS. Eles foram anestesiados com ketamina e xilazina por via intramuscular. O íleo foi removido, dissecado da membrana serosa, aberto com bisturi, segmentado e montado em câmaras de Üssing. O mRNA total foi extraído e, a partir deste, foi feito o cDNA a fim de observar se esses estados patológicos causaram alteração na expressão gênica de transportadores como SGLT-1, SN-2, CAT-1, PEPT-1e CFTR e proteínas relacionadas às junções celulares como ZO-1, Claudina-1 e Claudina-2 e Ocludina. Em paralelo, análise por imunofluorescência das proteínas SGLT-1, SN-1, SN-2 e PEPT-1foram realizadas. Os resultados mostraram que a desnutrição, EPEC e E. Coli HS reduziram apenas a profundidade das criptas, mantendo-se a área absortiva normal. Mesmo assim, nesses grupos houve redução da CCC basal. Porém, a desnutrição não alterou os sistemas de transporte de glicose, glutamina e alnil-glutamina devido ao aumento na expressão gênica de SGLT-1 e PEPT-1 e ao aumento da síntese de SGLT-1, SN-1e SN-2. Já a EPEC alterou o transporte de glicose, e a E. Coli HS modificou o transporte de glutamina e alanil-glutamina. Enquanto que, nos animais desnutridos, a EPEC alterou a via de transporte de glutamina e alanil-glutamina, e E. Coli HS transformou os níveis de absorção de glicose e alanil-glutamina. Portanto, esses substratos podem favorecer a recuperação da membrana e aliviar o ciclo vicioso de desnutrição, infecção e diarreia através do aumento da absorção (CCC) e da manutenção da normalidade da permeabilidade intestinal (Rt), porém antes de utilizá-los para esse tratamento, é imprescindível avaliar o estado nutricional do hospedeiro e a presença de agentes patogênicos em seu epitélio intestinal.

  • PALOMA ARAÚJO CAVALCANTE
  • Regulação das guanosina trifosfatases RHO na redução da migração de células intestinais induzida por cepas selvagem e padrão de Escherichia coli enteropatogênica.

  • Advisor : ALDO ANGELO MOREIRA LIMA
  • Data: Feb 28, 2013
  • Show resume
  • Escherichia coli enteropatogênica (EPEC) é um importante patógeno associado às doenças diarreicas. Sua patogênese baseia-se na capacidade de aderir ao epitélio intestinal e provocar uma lesão do tipo attaching and effacing, levando à destruição das microvilosidades e ao rearranjo do citoesqueleto celular. Essas infecções ocasionam comprometimento da barreira intestinal e um dos primeiros mecanismos de resposta à recuperação é a migração das células intestinais para recobrir a área lesionada. A alanil-glutamina (Ala-Gln) estimula este processo migratório, entretanto os mecanismos envolvidos nesta resposta ainda são desconhecidos. As principais proteínas que regulam a migração celular são as pequenas GTPases, Rho Rac1, RhoA e Cdc42. Desse modo, investigou-se o efeito de duas cepas patogênicas de EPEC, uma padrão E2348/69 e uma selvagem, e uma cepa comensal E. coli HS, bem como o papel da suplementação com Ala-Gln na migração de celulas intestinais in vitro na presença ou ausência da infecção, bem como se havia alguma alteração na expressão gênica das GTPases Rho. Em relação a migração celular intestinal, quando as células foram infectadas tanto pela cepa comensal e pelas cepas de EPEC houve uma redução significativa desta resposta. Entretanto, aquelas que haviam sido infectadas pelas cepas de EPEC tiveram uma diminuição significativa da migração quando comparado às células que haviam sido infectadas pela cepa comensal de E. coli HS. Observou-se um alto percentual de células necróticas pela cepa padrão de EPEC E2348/69 após 12 e 24 horas da infecção. A adição da Ala-Gln em células não infectadas estimulou significativamente e de modo dose dependente a migração após 24 horas. Entretanto, quando esse nutriente foi adicionado após 12 e 24 horas da infecção, não houve uma reversão do dano. Em relação à expressão gênica das GTPases Rho, observou-se um aumento da transcrição de rac1 nas células que haviam sido infectadas pelas cepas de EPEC e E. coli HS, bem como um aumento da transcrição de rhoA nas células infectadas pela cepa padrão de EPEC após 2 horas da infecção. Entretanto na análise das proteínas por imunofluorescência RhoA e Cdc42 nas células infectadas pela EPEC padrão mostraram-se aumentadas quando comparado ao controle. Enquanto que nas células infectadas com a cepa selvagem de EPEC houve um aumento de Rac1 e redução de RhoA. Assim, a migração das células intestinais é afetada principalmente pelas cepas patogênicas de EPEC, podendo este fato estar relacionado com o as alterações na expressão gênicas das proteínas GTPAses Rho. Entretanto a suplementação com Ala-Gln 5 mM não reverteu o dano na migração intestinal.

  • CAMILA FERNANDES
  • Aumento de células T regulatórias CD4+CD25+FOXP3high  e CD8+CD25+FOXP3high em pacientes menores de 15 anos com hanseníase multibacilar

  • Data: Jan 30, 2013
  • Show resume
  • A hanseníase é uma doença crônica causada pelo Mycobacterium leprae, que representa um importante problema de saúde pública mundial. A incidência nos menores de 15 anos de idade reflete a endemicidade da região e a dificuldade no seu controle. Células  T regulatórias (Treg) têm recebido atenção especial na literatura e têm sido relacionadas com susceptibilidade e desenvolvimento de infecções crônicas, entretanto seu papel na hanseníase nos menores de 15 anos ainda não foi elucidado. Avaliamos a freqüência das células T regulatórias (Treg) CD4+CD25+FOXP3high, CD8+CD25+FOXP3high, CD4+CD25highFOXP3+ e CD8+CD25highFOXP3+ em pacientes com hanseníase e em contatos intradomiciliares, ambos menores de 15 anos.  Células mononucelares de sangue periférico foram cultivadas por 72 horas com ativadores (anti-CD3 e anti-CD28)  e/ou com M.leprae total sonicado. Observamos maior freqüência de células CD4+CD25+FOXP3high em pacientes do que em contatos, não havendo diferenças entre eles com relação à frequência das outras populações avaliadas. Os pacientes multibacilares apresentaram maior freqüência de células CD4+CD25+FOXP3high e CD8+CD25+FOXP3high do que os contatos. Apenas nesses pacientes, as células CD4+CD25+FOXP3high foram negativamente correlacionadas com linfócitos  CD4+ e CD8+ não-regulatórios e as células CD8+CD25+FOXP3high  com linfócitos CD4+ não-regulatórios. Estes resultados sugerem que a maior frequência de Tregs com elevada expressão de FOXP3 pode estar relacionada com a anergia observada nos pacientes multibacilares menores de 15 anos.

  • ANA CATARINA MARTINS REIS
  • Fatores de virulência e produção de biofilme de Bacteroides fragilis isolados da microbiota intestinal de cães

  • Advisor : CIBELE BARRETO MANO DE CARVALHO
  • Data: Jan 8, 2013
  • Show resume
  • Bacteroides  fragilis faz parte da microbiota fecal de animais, contudo é a espécie mais patogênica do gênero Bacteroides.  A sua transformação de um microrganismo comensal para agente patogênico deve-se principalmente aos seus fatores de virulência. Este micro-organismo tem sido isolado de diversas infecções em cães . Considerando o potencial patogênico de B. fragilis e sua importância na medicina veterinária, o presente trabalho foi elaborado com o objetivo de avaliar os fatores de virulência e formação de biofilme de Bacteroides fragilis isolados de amostras fecais de cães e comparar a produção de biofilme pelo método do Ágar Vermelho  Congo e Adesão em Microplaca. As amostras utilizadas neste estudo foram coletadas na Clinica Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (UECE) e processadas no Laboratório de Bacteriologia da Universidade Federal do Ceará (UFC). Foram analisadas 13 cepas da espécie B. fragilis provenientes de cães saudáveis e com idade abaixo de 1 ano. Foram avaliadas fenotipicamente a produção de hemolisinas e hemaglutininas, hidrofobicidade, presença da enzima b- lactamase, cápsula e produção de biofilme. Para determinação do perfil de sensibilidade  a clindamicina, metronidazol, cloranfenicol e penicilina foi utilizada a técnica de diluição em ágar, de acordo com o CLSI.  Os ensaios in vitro para detecção de biofilme foram realizados pelos métodos Agar Vermelho Congo (AVC) e Adesão em microplacas. O teste do AVC foi executado como descrito na literatura e para sua interpretação uma escala colorimétrica foi utilizada. Para a detecção de biofilme pelo método de Adesão em microplaca (padrão ouro), foi utilizado microplaca fundo chato de 96 poços e a densidade óptica 540nm foi determinada. Todas as cepas de B. fragilis apresentaram cápsula e não produziram hemólise. Com relação à produção de hemaglutininas, 38% das cepas apresentaram hemaglutinação quando utilizado sangue canino e 15% em sangue humano (A+). Das cepas estudadas, 7% apresentaram uma superfície  celular hidrofóbica. No total, 61% das cepas apresentaram teste da  b- lactamase positivo. Quanto a produção de biofilme, foi observado pelo método do AVC que 12 (92,3%) dos isolados eram produtores de  biofilme e por meio do método de Adesão em Microplacas, verificou-se que 8 (61,5%)  cepas foram capazes de produzir biofilme. O teste do AVC foi de fácil execução, rápido, mas muito difícil de ler e classificar. Todos os isolados foram sensíveis ao metronidazol e cloranfenicol e resistentes à penicilina. A taxa de resistência à clindamicina foi de 69,2%. Esse estudo mostrou que espécies de B. fragilis isolados da microbiota normal de cães apresentaram fatores de virulência importantes para sua patogenicidade, possuem a capacidade de formar biofilme pelos dois métodos de detecção estudados e demonstram uma alta taxa de resistência a  clindamicina.

2012
Description
  • BRUNA STEFÂNIA FERREIRA MELLO
  • Determinação dos efeitos da doxiciclina em um modelo de depressão induzido por lipopolissacarídeo em camundongos.

  • Data: Dec 27, 2012
  • Show resume
  • A depressão tem uma prevalência ao longo de mais de 15% e é a quarta causa principal de incapacidade em todo o mundo. Isso faz com que esta doença mental seja uma grande preocupação com o bem-estar pessoal e econômico. Há evidências acumuladas de que a depressão pode se desenvolver em resposta à ativação do sistema imune inato. Com base nas propriedades anti-inflamatórias e anti-oxidante de doxiciclina, e supondo que esta droga apresenta menos efeitos colaterais e um melhor perfil farmacocinético, em comparação com a minociclina, a hipótese de que esta droga pode apresentar efeitos antidepressivos, utilizando o modelo de depressão induzido por LPS. Para a prevenção, foram administrados via intraperitonial nos camundongos doxiciclina (25 ou 50 mg/kg), a imipramina (10 mg/kg) após 30 minutos foi administrado 0,5 mg/Kg de LPS. Para tratamento, foi administrado 0,5 mg/Kg de LPS seguido por duas administrações intraperitoneais de Doxiciclina (25 ou 50 mg/kg), imipramina (10 mg/kg) a 1,5 e 23,5 horas após a administração de LPS. Determinações de comportamento, como campo aberto e nado forçado, foram realizadas em ambas as situações (prevenção e tratamento) 24 horas após a administração de LPS, um período conhecido para a ocorrência de um comportamento semelhante a depressão. A determinação de citocinas IL-1β, TNF-α e nitrito foram avaliados no sangue periférico e nas áreas cerebrais: córtex pré-frontal (PFC), hipocampo (HC) e corpo estriado (ST).  Doxiciclina e imipramina, quando administrados pré e pós-LPS reduziu significativamente o tempo de imobilidade, em relação aos animais de controle, mostrando um efeito antidepressivo. Em relação a citocina IL-1β, doxiciclina e imipramina diminuíram os níveis desta citocina. Os níveis de TNF-α não foram observados alterações significativas. A doxiciclina e imipramina preveniu e reverteu a diminuição do teor de nitrito induzida por LPS. Baseado nos resultados sugere-se a doxiciclina como um novo tipo de tratamento para depressão induzida pela inflamação.

  • CHARLLYANY SABINO CUSTÓDIO
  • Estudo de alterações comportamentais e neuroinflamatórias induzidas pela administração sistêmica de lipopolissacarídeo de Escherichia coli em camundongos

  • Data: Dec 27, 2012
  • Show resume
  • Com base na evidência de alterações comportamentais tempo-dependentes induzidas pela administração de lipopolissacarídeo (LPS) denominadas de comportamentos de doença e semelhante à depressão, procurou-se determinar as alterações induzidas por uma administração sistémica de LPS (0,5 mg / kg, ip) em camungondos sobre parâmetros tais como: comportamentos relacionados à depressão e à ansiedade, inibição pré-pulso (PPI), memória de trabalho, atividade locomotora e coordenação motora, 1,5 e 24 h após a administração da endotoxina, respectivamente, os pontos de tempo para o desenvolvimento dos comportamentos de doença e semelhante à depressão. Os níveis de IL1β e TNFa no sangue e cérebro, bem como os níveis cerebrais de nitrito foram avaliados no córtex pré-frontal (CPF), hipocampo (HC) e corpo estriado (ST). As alterações 1,5 h pós-LPS foram: hipolocomoção, comportamentos relacionados à depressão e à ansiedade, déficits de memória de trabalho, acompanhado por incrementos no teor de IL-1β no plasma e PFC, TNFα no plasma e redução nos níveis de nitrito no ST e PFC. Vinte e quatro horas pós-LPS, o comportamento relacionado à depressão e os déficits de memória de trabalho mantiveram-se, enquanto os níveis de PPI reduziram significativamente, acompanhados por um aumento no teor de IL-1β no PFC e diminuição dos níveis de nitrito no HC, ST e PFC. Tomados em conjunto, os resultados do presente estudo fornecem novas evidências para alterações nos níveis de PPI no comportamento de doença semelhante à depressão induzido por LPS e para o envolvimento do óxido nítrico na depressão induzido por LPS em camundongos.

  • JANICE OLIVEIRA SILVA
  • Sensibilidade antimicrobiana de bacteroidales de trato intestinal de cães e o efeito de concentrações subinibitórias de diferentes antimicrobianos na formação de biofilme in vitro

  • Advisor : CIBELE BARRETO MANO DE CARVALHO
  • Data: Dec 21, 2012
  • Show resume
  • Os gêneros Bacteroides e Parabacteroides estão envolvidos em sérias patologias como abscessos em vários órgãos e bacteremias em homens e animais. Essas bactérias são caracterizadas pela resistência aos antimicrobianos e B. fragilis é a principal bactéria anaeróbia isolada do intestino que pode formar biofilme. O objetivo desse estudo foi isolar Bacteroides e Parabacteroides do trato intestinal de cães para avaliar a sensibilidade antimicrobiana e a ação de concentrações subinibitórias de antimicrobianos na formação de biofilme.  No período compreendido entre janeiro a junho de 2011, 30  cepas dos gêneros  Bacteroides e Parabacteroides  foram isolados de 50 cães atendidos  na Unidade Hospitalar Veterinária da UECE. As amostras foram coletadas por meio de swab retal e semeadas em meio seletivo agar Bacteroides Bile Esculina e incubadas em anaerobiose a 37 oC por 48h. As espécies dos gêneros Bacteroides e Parabacteroides foram identificadas por meio de provas bioquímicas e cromatografia gasosa. Foi avaliada a sensibilidade a 10 antimicrobianos  pela técnica de microdiluição em caldo e as cepas de B. fragilis formadoras de biofilme foram classificadas e as mais fortemente aderentes em número de quatro foram utilizadas no estudo sobre a ação da concentração subinibitória dos antimicrobianos sobre a formação de biofilme. O biofilme formado dessas quatro cepas sob a ação de antimicrobianos foi avaliado por meio de microscopia confocal.  As espécies mais frequentemente isoladas foram B. fragilis, P. distasonis e B. vulgatus. As cepas apresentaram alta sensibilidade ao cloranfenicol, imipenem, metronidazol e amoxicilina/ácido clavulânico. As cepas foram menos sensíveis a cefoxitina e a sensibilidade a tetraciclina, clindamicina e penicilina foram baixas. As concentrações inibitórias mínimas das quinolonas testadas para as cepas isoladas foram semelhantes as descritas na literatura.  Os antimicrobianos testados reduziram a formação de biofilme nas quatro cepas exceto enrofloxacina, que agiu induzindo a formação de biofilme em metade das cepas testadas.

  • JOYCE FONTELES RIBEIRO
  • Histoplasma capsulatum: taxa de conversão in vitro, detecção do gene ryp1 e estudo da diversidade genética.

  • Data: Dec 13, 2012
  • Show resume
  • A histoplasmose, causada pelo fungo dimórfico Histoplasma capsulatum, é a mais prevalente das micoses sistêmicas nas Américas, sendo frequentemente observada em pacientes com AIDS. Desde o início da epidemia de HIV, na década de 80, existe um aumento significativo no número de casos de histoplasmose no Estado do Ceará, Nordeste do Brasil. A escassez de dados epidemiológicos dos genótipos que circulam na região Nordeste ressalta a importância de estudos mais detalhados sobre a epidemiologia molecular de H. capsulatum nessa região. Diferentes técnicas moleculares têm sido utilizadas para melhor caracterizar o padrão genético de cepas de H. capsulatum circulantes no mundo. Vale ressaltar que, grande parte dos estudos de H. capsulatum é realizada na sua fase leveduriforme, quando expressa as suas características parasitárias. Assim, o uso de técnicas laboratoriais para a conversão in vitro para a fase leveduriforme e sua manutenção é extremamente importante. Diante do exposto, o presente estudo objetivou averiguar a taxa de conversão in vitro dos isolados de H. capsulatum em seis meios de cultura diferentes, bem como detectar, através da técnica de PCR, a presença do gene ryp1, um importante regulador transcricional da conversão da fase filamentosa para leveduriforme. Além disso, visou conhecer o perfil molecular de cepas de H. capsulatum, de origem humana e veterinária, oriundas do Estado do Ceará e da região Sudeste do Brasil, através da técnica de RAPD-PCR e avaliar a diversidade genética da região ITS1-5.8S-ITS2 desses isolados comparados com isolados de outros países, através do sequenciamento do DNA ribossômico nuclear. No estudo de conversão in vitro, todos os meios testados foram capazes de possibilitar a conversão de fases, contudo, o meio ágar Sabouraud suplementado com 10% de sangue de carneiro mostrou a maior capacidade de conversão em relação aos outros meios testados. O gene ryp1 foi detectado em 18 cepas de H. capsulatum (de origem humana e animal) e em três espécimes clínicos positivos para H. capsulatum (sangue total) testados, não sendo detectado, contudo, em isolados de Candida albicans, Paracoccidioides brasiliensis, Sporothrix schenckii e Coccidioides posadasii. A análise da variabilidade genética dos isolados de H. capsulatum, pela técnica de RAPD-PCR, permitiu a detecção de dois clusters que circulam no Estado do Ceará. O cluster 1 incluiu cepas das regiões Sudeste e Nordeste do Brasil, sendo observado dentro desse cluster a separação dos isolados em três subgrupos distintos (subgrupos 1a,1b e 1c). O cluster 2, por sua vez, incluiu somente cepas da região Nordeste do Brasil. Não foram observadas diferenças nas características clínicas e epidemiológicas dos indivíduos cujas cepas pertenciam aos diferentes agrupamentos, obtidos pela técnica de RAPD-PCR. O sequenciamento da região ITS1-5.8S-ITS2 possibilitou a detecção de dois clados principais. O clado 1 foi constituído da maioria das cepas analisadas, inclusive as cepas da região Nordeste e incluiu isolados de localizações geográficas distintas. O clado 2, por sua vez, foi constituído exclusivamente de isolados oriundos do Estado do Rio de Janeiro. Portanto, pode-se concluir que o ágar Sabouraud suplementado com 10% de sangue de carneiro apresentou maior capacidade de conversão das cepas de H. capsulatum em relação aos outros meios testados, podendo ser considerado o meio de escolha para conversão de cepas de H. capsulatum. Ademais, o gene ryp1 pode ser utilizado para identificar isolados de H. capsulatum, bem como, detectar a presença do fungo em amostras clínicas, podendo ser utilizado para diagnóstico de histoplasmose. Por fim, os isolados de H. capsulatum oriundos do Estado do Ceará podem ser agrupados em dois clusters principais, detectados através da técnica de RAPD-PCR. Além disso, a análise filogenética da região ITS1-5.8S-ITS2 revelou que as cepas da região Nordeste apresentaram diferenças genéticas quando comparadas com as cepas de outras regiões brasileiras, ficando agrupadas em um cluster diferente das mesmas.

  • ROSANA DE SOUSA CAMPOS
  • Efeito sinérgico in vitro de flavonóides (catequina, quercetina e galato de epigalocatequina) com fluconazol em cepas de Candida tropicalis resistentes ao fluconazol.

  • Data: Dec 11, 2012
  • Show resume
  • Os flavonóides são uma classe de compostos fenólicos comumente encontrados em frutas, vegetais, grãos, flores, chá e vinho. Eles diferem em sua estrutura química e características particulares. Tais compostos podem atuar como pró- oxidantes, reduzindo ou quelando metais.

    O objetivo deste estudo foi avaliar as interações in vitro de flavonóides com fluconazol contra cepas de Candida tropicalis resistentes ao fluconazol, investigando o mecanismo de sinergismo. Três combinações formadas pelos flavonóides (+) - catequina hidratada, quercetina hidratada, (-) – galato de epigalocatequina com concentração fixa fluconazol foram testados. A avaliação da interação dos fármacos foi determinada utilizando técnicas tais como: métodos de microdiluição em caldo, procedimentos de citometria de fluxo e ensaio do cometa.

    Conclui- se que os flavonóides (+) – catequina hidratada, quercetina hidratada, (-) – galato de epigalocatequina, quando combinados com o fluconazol, apresenta atividade contra cepas de Candida tropicalis resistente ao fluconazol e promove morte por apoptose por meio de exposição de fosfatidilserina na membrana plasmática e alterações morfológicas; despolarização mitocondrial, acúmulo intracelular de espécies reativas de oxigênio (ROS), condensação e fragmentação de DNA.

     

  • MARIA ADALGIZA DOS SANTOS NETA
  • Atividade antifúngica in vitro de compostos naftoquinoidais contra cepas de Candida  tropicalis resistentes ao fluconazol

  • Data: Nov 27, 2012
  • Show resume
  • A incidência de infecções oportunistas causadas por fungos, com destaque para as leveduras do gênero Candida vem aumentando substancialmente. O aumento da incidência das infecções fúngicas invasivas deve-se, em grande parte, ao aumento significativo da população de doentes considerada de risco, a qual inclui doentes infectados com o vírus da imunodeficiência humana, doentes neoplásicos ou transplantados, sujeitos a quimioterapia e/ou terapia imunossupressora e uso de antimicrobianos de amplo espectro. Estudos relatam que tem sido observado um notável crescimento de infecções por espécies não albicans (Candida tropicalis, Candida glabrata, Candida parapsilosis e Candida krusei). Isolados clínicos resistentes aos azólicos, em especial ao fluconazol, são cada vez mais relatados. As naftoquinonas são uma importante classe de moléculas biologicamente ativas, apresentando atividades antibacteriana, antifúngica, antiviral, anti-inflamatória, antipirética, anticancerígena e tripanocida e tem sido amplamente testadas em vários estudos farmacológicos. Nos últimos anos intensificou-se o interesse nestas substâncias, não só devido à sua importância em processos bioquímicos vitais, como também ao destaque cada vez maior que apresentam em variados estudos farmacológicos. O presente trabalho busca avaliar e comparar o efeito antifúngico de naftoquinonas frente a cepas de Candida tropicalis resistentes e sensíveis ao fluconazol, utilizando diferentes técnicas tais como Métodos de Microdiluição em Caldo, Procedimentos de Citometria de Fluxo e Ensaio do Cometa. Foi utilizado 03 compostos de naftoquinonas frente à 07 cepas de Candida tropicalis e foram submetidas aos testes de Sensibilidade in vitro , onde apresentaram uma potente atividade antifúngica. Através da Citometria de Fluxo, foi possível avaliar  alterações morfológicas e de integridade da membrana significativas desses compostos frentes às cepas, além de disfunção mitocondrial e produção de espécies reativas de oxigênio. Através do ensaio do Cometa foi possível encontrar danos significativos ao DNA.  Em síntese, os resultados sugerem que estes compostos podem ser usados como agentes antifúngicos para o tratamento de candidemias.

  • RENATO EVANDO MOREIRA FILHO
  • Coccidioidomicose no estado do Ceará: descrição de microepidemia, virulência in vivo, potencial imunoprotetor e caracterização protéica de antígeno isolado de Coccidioides posadasii

  • Data: Nov 26, 2012
  • Show resume
  • Pesquisas científicas buscando a utilização de antígenos de Coccidioides posadasii são comuns na literatura especializada, uma vez que, são instrumentos relevantes para diagnóstico e possível efeito imunoprotetor em humanos. Diante do exposto, foi realizada busca ativa de casos humanos de coccidioidomicose no Estado do Ceará, bem como, avaliou-se a resposta imunológica in vivo e características bioquímicas de antígeno protéico oriundo de C. posadasii. Para concretizar tais objetivos, foram buscados ativamente quadros de coccidiodiomicose em três caçadores de tatu com a respectiva descrição clínica e avaliação laboratorial, ademais foi descrito modelo murino de coccidioidomicose com testagem de possível efeito imunoprotetor de antígeno in-house, bem como a caracterização bioquímica do referido antígeno por meio de eletroforese (SDS-PAGE e 2D-PAGE), detecção de proteases, glicoproteínas e sequenciamento N-terminal. Nos casos clínicos, foram encontrados queixas pneumônicas, exame micológico direto, cultivo de escarro, imunodifusão radial dupla (com antígeno in-house) e PCR positivos para C. posadasii. No modelo murino, o grupo infectado, na presença de antígeno e adjuvante, apresentou, na análise histopatológica, menores alterações pulmonares que os demais grupos, além de maior estímulo linfóide esplênico. No que concerne a dosagem de citocinas, não se observou diferença significativa entre os grupos, mas uma tendência à resposta imunoprotetora. O grupo infectado, sem imunoproteção, apresentou maior perda ponderal. Na análise macroscópica, o máximo comprometimento foi a presença de 2 granulomas. Na análise dos hemogramas, a série branca demonstrou maiores diferenças entre os grupos. Quanto a análise bioquímica, observaram-se delimitação de bandas nas faixas de 45-67 kDa e 67-97 kDa (SDS-PAGE), detecção de glicoproteínas, proteases e sequenciamento N-terminal demonstrando serem as bandas uma β-glucosidase e uma glutamina sintetase. Assim, o antígeno in-house se mostrou positivo na imunodifusão radial frente a casos humanos de coccidioidomicose, tendeu a estimular resposta celular em modelo murino, representando assim uma promissora estratégia para o imunodiagnóstico, célere e de baixo custo.

  • FRANCIVANDI COELHO BARBOSA
  • Associação entre Helicobacter pylori e Polimorfismos em Genes de Interleucinas na Progressão das Lesões Gástricas

  • Advisor : SILVIA HELENA BAREM RABENHORST
  • Data: Aug 24, 2012
  • Show resume
  • As Lesões gástricas (LG) se desenvolvem a partir da mucosa normal infectada por Helicobacter pylori (H.pylori) e podem progredir para o CG através de um processo com múltiplas etapa. A capacidade de H.pylori provocar LG está associada com alguns fatores de seus virulência, tais como cagA, cagE, virB11 e variação alélica de vacA. Estes fatores de virulência quando expressos, entram em contato com as células gástricas promovendo a ativação da resposta imune inata, que ativa a transcrição de vários genes, incluindo citocinas inflamatórias, como as interleucinas (IL) IL1B (-511), IL1RN (VTNR), IL6 (-174) e IL8 (-251). Tais citocinas possuem genes polimórficos que alteram sua expressão e, consequentemente, a intensidade da resposta inflamatória do hospedeiro. Assim, este estudo objetiva verificar a associação entre o genótipo das cepas de H.pylori com polimorfismos de IL de resposta à infecção na progressão das LG. Neste estudo foi obtido DNA de 324 pacientes, sendo 118 com CG e 206 com LG pré-malígnas (LGPM) (40 Gastrite Crônia Inativa (GCI), 112 Gastrite Crônica Ativa (GCA), 39 Metaplasia Intestinal (MI), 8 Gastrite Atrófica e 7 Úlcera Gástrica), coletadas em quatro hospitais de Fortaleza-CE. A genotipagem dos polimorfismos foi feita por PCR-RFLP e PCR e os genes de virulência de H. pylori foram analisados por PCR.  A análise genotípica da comparação entre as LGPM e CG demonstrou uma associação do CG com os genótipos IL8TT (p=0,0065), IL6GG (p=0,0012) e IL1RNLL (p=0,0052), resulatado confirmado pela análise da frequência alélica apenas para IL8 (p=0,0142) e IL6 (p=9.96 x10-5).  A associação dos alelos das ILs 2x2 demonstrou que todos os haplotipos mais inflamatórios estavam associados ao CG, exceto IL1BxIL1RN e IL8xIL1RN; na associação 3x3 observou-se que os haplotipos mais inflamatórios estavam associados ao CG; já na análise 4x4 o haplotipo T-T-G-*2 (IL1BxIL8xIL6xIL1RN) foi associado ao CG (p=2,89x10-5), sendo este um bom marcador para este tipo de câncer. Na comparação da GCI com o CG observou-se que os genótipos IL6GG (p=0,0426) e IL6GC (p=0,0475) foram associados ao CG; resultado confirmado pela frequência alélica (IL6G, p=0,0389). A comparação entre GCA e CG demonstrou que os genótipos IL8AT (p=0,0016), IL1RNL*2 (p=0,0049) e IL6GG (p=0,0004) estão associados ao CG, no entanto, a frequência alélica confirmou os resultados apenas para IL6G (p=2,22x10-5) e IL8T (p=0,005). A análise da associação das ILs 4x4 demonstrou que o haplotipo T-T-G-*2 (IL1BxIL8xIL6xIL1RN) foi associado ao CG (p=5,72x10-5). Na comparação da MI com CG observou-se associação significativa do CG com IL8AT (p=0,0426) e IL6GG (p=0,0475), entre tanto, a frequência alélica demonstrou associação apenas IL6G com o CG (p=0,0389). A fim de verificar a associação dos polimorfismos das ILs com as cepas de H.pylori, estas foram classificadas, de acordo com o genótipo bacteriano, em dois grupos: I (vacAs1) e II (vacAs2) e quatro sub grupos [A (cagA(+) e cagE(+) e virB11(+)); B (cagA(+) e virB11(+) ou cagE(+) e virB11(+)); C (cagA(+) ou cagE(+) ou virB11(+) ou cagA(+) e cagE(+)) e D (cag-PAI(-))]. Considerando a GCA observou-se associação dos alelos IL1RN*2 com o grupo IIA (p=0,0372) e IIC (p=0,0119). No CG foi encontrada associação de IL6GG com o grupo IIC (p=0,0113) e IL8TTcom o grupo IID (p=0,0349). Quando se comparou GCA com CG observou-se que o CG estava associado com os genótipos IL6GC (p=0,0001) e o alelo IL1RN*2 (p=0,0017), na associação das ILs 3x3 todos os haplotipos mais inflamatórios foram associados ao CG no grupo IA. No grupo IIC encontrou-se que o alelo IL1RN*2 estava associado ao CG (p=0,0322); já no grupo ID os alelos IL8T (p=0,0110) e IL6G (p=0,0089) foram associados ao CG. Na comparação da MI com CG observou-se que no grupo IC os genótipos IL8AT (p=0,0341) e IL6GC (p=0,0495) foram associados ao CG; no grupo ID o CG foi associado ao alelo IL6G (p=0,0297). Já na comparação da MI com GCA observou-se que no grupo IB os genótipos IL8AT (p=0,0076) e no grupo IIC IL1RN*2*2 (p=0,0340) foram associados com MI. Na comparação da GCA com GCI foi observado que o alelo IL1RN*2 (p=0,0113) estava associado à GCA no grupo IB. Na comparação do CG com GCI demonstrou-se que IL8T estava associado ao CG no grupo ID (p=0,0114). Deste modo pode-se concluir que, os genótipos mais inflamatórios de todas as ILs estavam associados ao CG. A análise haplotipica demonstrou que o haplotipo mais inflamatório (T-T-G-*2) é um bom marcador para o CG. A análise dos grupos de H.pylori demonstrou que as cepas menos virulentas estão associadas o genótipos mais inflamatórios, mostrando que tanto a cepas bacterianas quanto o genótipo do hospedeiro estão envolvidas na progressão das LG.

  • ANA CAROLINA MATIAS DINELLY PINTO
  • Efeito  anti-inflamatório sistêmico e imunomodulador de um extrato de Coccidioides posadasii em artrite experimental

  • Data: Aug 13, 2012
  • Show resume
  • Peptídeos bioativos naturais são substâncias encontradas em diversas espécies que podem alterar a resposta imune contra patógenos, seja de forma prejudicial ou proteção para o hospedeiro. Há um crescente interesse na utilização de produtos naturais para a modulação de processos inflamatórios, alguns deles derivados de fungos não patogênicos. Fungos patogênicos, no entanto, também apresentam componentes imunomoduladores. Estudos prévios mostraram que extratos obtidos de nematódeos modularam a resposta imune em modelo experimental. Seguindo a mesma linha de pesquisa, foi investigado o efeito de um extrato obtido do fungo Coccidioides posadasii em modelo de artrite induzida por zymosan (AZy). Ratos e camundongos receberam 1 mg e 0,1 mg de zymosan intra-articular (i.a.), respectivamente. Grupos receberam o extrato de C. posadasii por via oral (v.o.) ou intraperitoneal (i.p.) 30 min antes do zymosan i.a. Grupos-controle receberam apenas solução salina. A hipernocicepção foi medida utilizando o teste de incapacitação articular e o von Frey eletrônico. O influxo celular agudo e crônico, bem como os níveis de nitrito e citocinas, foram avaliados no exudato sinovial. A sinóvia foi utilizada para exame histopatológico. O dano na cartilagem foi avaliado mediante determinação de conteúdo de glicosaminoglicanos (GAG). O pré-tratamento com o extrato de C. posadasii, seja i.p. ou v.o., inibiu significativamente e de forma dose-dependente, o influxo de células tanto na fase aguda como na fase crônica, bem como a hipernocicepção, acompanhada por uma ligeira redução na perda de GAG e uma melhora significativa da sinovite crônica. Redução e alquilação do extrato reverteram os efeitos protetores observados anteriormente. A administração do extrato de C. posadasii não alterou os níveis i.a. de NO, IL-1β, TNF-α, IFN-γ e IL-17 em ratos e camundongos submetidos à AZy, enquanto níveis de IL-10 foram significativamente reduzidos. Esses dados mostram um papel anti-inflamatório sistêmico e imunomodulador para o extrato de C. posadasii em AZy. Uma abordagem preliminar, utilizando técnicas eletroforéticas, para caracterizar componentes ativos excluiu carboidratos carregados enquanto aponta para frações proteicas ou polipeptídeo como responsáveis pela atividade biológica. O efeito do extrato de C. posadasii é espécie-independente. Caracterização adicional dos componentes ativos no extrato pode revelar mecanismos relevantes para compreender a resposta do hospedeiro contra os componentes fúngicos. Além disso, o efeito anti-inflamatório do extrato ilustra a importância da realização de estudos, uma vez que a atividade oral podem também ser relevante para o tratamento de doenças inflamatórias.

  • CECILIA ROCHA DA SILVA
  • Efeito da combinação de amiodarona com fluconazol, in vitro, frente a isolados de C.tropicalis resistentes ao fluconazol: novos olhares para antigos fármacos.

  • Data: Jun 18, 2012
  • Show resume
  • Candida tropicalis é uma levedura diplóide causadora de infecções superficiais e/ou sistêmicas, as quais podem ser adquiridas de maneira endógena ou exógena e podem acometer diversos órgãos. No Brasil, dentre as espécies de Candida spp., a C.tropicalis é a segunda espécie mais comumente isolada e no Ceará é pouco estudada. Nos dias atuais, temos vivenciado um aumento significativo das infecções fúngicas invasivas. Porém as drogas antifúngicas disponíveis no mercado são restritas a um pequeno número quando comparadas as antibacterianas. Logo, este fato unido ao aumento da frequência de resistência cruzada faz necessária a busca por novas estratégias terapêuticas. A amiodarona (AMD) é usada classicamente para tratar pacientes com arritmia. Trabalhos recentes têm demonstrado uma ampla atividade antifúngica desta droga quando associado ao fluconazol (FLC).  No presente estudo induzimos resistência em sete cepas de Candida tropicalis e avaliamos um eventual sinergismo entre FLC e AMD. A avaliação da interação das drogas foi determinada através do cálculo da Fractionary Inhibitory Concentration (FICI) e por meio da técnica de citometria de fluxo, onde também avaliamos o provável mecanismo de ação desse sinergismo. Os isolados utilizados no estudo pertencem ao Laboratório de Bioprospecção Experimental em Leveduras (LABEL) da UFC. Para o cumprimento da metodologia, as cepas foram recuperadas do estoque e identificadas por biologia molecular. A indução foi realizada adaptando-se o protocolo de Pinto e Silva (2009). Os testes de sensibilidade foram realizados utilizando-se o teste de microdiluição em caldo padronizado pelo CLSI, segundo o documento M27-A3. Para avaliar o sinergismo utilizou-se a técnica do checkboard. Por fim, para verificar o possível mecanismo de ação do sinergismo, determinamos a integridade de membrana, potencial transmembrana mitocondrial, formação de espécies reativas de oxigênio (ROS), teste do cometa, análise da oxidação de bases purinas e caspases. As cepas de C.tropicalis após ~100 dias atingiram um CIM > 64µg/mL. Os testes de sensibilidade apresentaram CIM > 64µg/mL tanto para o FLC como para AMD. Das cepas testadas, seis apresentaram sinergismo. O tratamento FLC+AMD alterou a integridade da membrana plasmática e mitocondrial, aumentou os níveis de ROS intracelularmente, causou danos ao DNA e, consequentemente, conduziu morte celular por apoptose.

     

  • LIVIA GURGEL DO AMARAL VALENTE
  • Identificação de melanina em cepas clínicas e ambientais de Burkholderia pseudomallei e atividade in vitro do farnesol como inibidor de β-lactamases.

  • Data: May 18, 2012
  • Show resume
  • Burkholderia pseudomallei é um bacilo Gram-negativo causador da melioidose, uma doença infecciosa severa e geralmente fatal, a qual pode ser adquirida através da inoculação, inalação e ingestão do microrganismo que se encontra distribuído no ambiente. No Brasil, a melioidose é considerada uma doença emergente descrita pela primeira vez em 2003 no Nordeste brasileiro, unicamente no estado do Ceará. O presente estudo consistiu em identificar o gene hppD, que codifica a produção de um precursor importante na síntese de melanina, e identificar fenotipicamente a produção do pigmento em cepas de B. pseudomallei através de meio contendo substratos fenólicos. Aliado ao estudo, foi realizado a comparação do perfil de sensibilidade e curva de morte entre cepas melanizadas e não melanizada ante ao imipenem. Associado ao estudo de sensibilidade, foi avaliada a possível ação do sesquiterpeno farnesol como um inibidor de β-lactamases. Os isolados utilizados no estudo pertencem ao Laboratório de Patógenos Reemergentes e Emergentes-LAPERE. Para o cumprimento da metodologia, as cepas foram recuperadas do estoque, realizado a extração de DNA e a identificação do gene hppD através de reação de PCR. A expressão fenotípica de melanina foi avaliada através de repiques em meio Brain Heart infusion (BHI) acrescido de ácido caféico. O teste de sensibilidade com cepas melanizadas e não melanizadas foi realizado utilizando o teste de microdiluição em caldo padronizado pelo CLSI, segundo documento M07-A8. A curva de morte foi realizada a partir da incubação do inóculo com imipenem no intervalo de 0,125 µg/ mL a 0,5 µg/ mL por 1 e 2 horas, seguida da contagem das colônias. A avaliação do farnesol como um possível inibidor de β-lactamases foi realizada através da combinação in vitro do farnesol com antibióticos β-lactâmicos (amoxicilina, ampicilina, oxacilina, imipenem, amoxicilina-ácido clavulânico, utilizando o teste de microdiluição em caldo padronizado pelo CLSI, através do documento M07-A8. O gene hppD foi detectado em todas as cepas de B. pseudomallei testadas, além da produção de pigmento em meios contendo substratos fenólicos. Em relação ao perfil de sensibilidade, as cepas não melanizadas e melanizadas apresentaram o mesmo valor de MIC, porém as cepas melanizadas demonstraram maior capacidade de sobrevivência quando em contato com a droga do que as cepas não melanizadas. Em relação ao farnesol, todas as cepas testadas foram inibidas pelo farnesol isolado com MICs variando de 75 a 150µM. Dentre as combinações dos β-lactâmicos testadas com farnesol, todas as drogas apresentaram redução estatisticamente significativa: amoxicilina (p=0,0001), amoxicilina-ácido clavulânico (p=0,0005), ampicilina (p=0,0026), oxacilina (p=0,0001) e imipenem (p=0,0105). Por fim, as combinações com amicacina e gentamicina não apresentaram redução estatisticamente significativa, pois os aminoglicosídeos praticamente repetiram seus valores quando combinados com Farnesol. Esse estudo abre perspectivas acerca de um novo fator de virulência, melanina, ainda não descrita para B. pseudomallei, além do sesquiterpeno farnesol como um possível inibidor de β-latamases nessa espécie.

  • HERMÍNIO BENÍTEZ RABELLO MENDES
  • Atividade do óleo essencial Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng  contra cepas de bacilos gram negativos anaeróbios.

  • Data: Mar 23, 2012
  • Show resume
  • Os microrganismos anaeróbios constituem um importante grupo bacteriano implicados na etiologia de diversos processos infecciosos, sendo considerados potentes patógenos oportunistas. Dentro deste grupo destacam-se os bastonetes Gram negativos, bactérias associadas com doenças periodontais, abscessos e infecções de ferida cirúrgica. Como alternativa para o tratamento dessas infecções, o uso de plantas medicinais tem ganhado força, uma vez que muitos desses patógenos estão se mostrando resistentes às terapias antibacterianas usuais. Diante disto, este estudo teve por objetivo investigar a atividade in vitro do óleo essencial (OE) de Plectranthus amboinicus contra cepas planctônicas de bacilos Gram negativos anaeróbios. Para tanto, o OE foi obtido por hidrodestilação e analisado por cromatografia gasosa acoplada a um espectrômetro de massa. Sua concentração inibitória mínima foi determinada pelo método de diluição em agar e os efeitos da sua ação sobre a parede celular foram analisados por microscopia de força atômica. Após análise do OE, o carvacrol foi o componente majoritário (90,5%). Os valores obtidos de concentração inibitória mínima e concentração bactericida mínima variaram respectivamente, entre 64-128 µg/mL e a curva de crescimento bacteriano apontou um sugestivo efeito bactericida e bacteriostático. Portanto, estes resultados sugerem que o óleo essencial de P. amboinicus possui atividade contra bacilos Gram negativos anaeróbios. Tais dados ainda são corroborados pela utilização desta planta na medicina popular para o tratamento de infecções causadas por outros bacilos Gram negativos.

  • PAULA BRITO E CABRAL
  • Perfil de marcadores sorológicos, salivares e moleculares de Mycobacterium leprae entre contatos intradomiciliares de pacientes com hanseníase.

  • Data: Feb 29, 2012
  • Show resume
  • Contatos de pacientes com hanseníase é um grupo de alto risco de desenvolver a doença. Nós investigamos a presença de DNA de Mycobacterium leprae na mucosa nasal e anticorpos anti-PGL1 séricos, IgG/IgM, e salivares, IgA/IgM, em contatos intradomiciliares de pacientes com hanseníase (n=135), em duas cidades endêmicas para a doença no Ceará, Crato e Maracanaú. Uma boa correlação entre os isotipos IgM e IgG séricos foi observada entre os contatos de pacientes com hanseníase portadores das formas clínicas multibacilares (MB) e paucibacilares (PB) (r = 0.39, p <0.0001). Entretanto, os níveis desses anticorpos mostraram ser muito diferentes (p <0.0001). Dentre os contatos positivos para IgM sérico anti-PGL1, 74 (87%) foram negativos para o anticorpo sérico IgG. Em relação aos anticorpos salivares, contatos de pacientes com a forma clínica PB mostraram boa correlação entre IgA e IgM (r = 0.60, p <0.0001); o mesmo foi verificado em contatos de pacientes com a forma clínica MB (r = 0.77, p <0.0001). Foi observado que 75,3% dos contatos positivos para os anticorpos séricos anti-PGL1, obtiveram níveis de anticorpos salivares negativos. Por outro lado, 50% dos contatos que foram negativos para os anticorpos séricos, obtiveram níveis de anticorpos salivares positivos. O DNA de M. leprae foi encontrado em swabs nasais de 9 contatos de pacientes portadores da forma clínica MB da hanseníase (10,6%) e em 3 contatos de pacientes portadores da forma clínica PB (6.0%). Nós concluímos que análises quantitativas de anticorpos séricos e salivares anti-PGL1 em contatos de pacientes com hanseníase são necessárias para montar estratégias de levantamento de infecções subclínicas da hanseníase, a fim de prevenir o desenvolvimento da doença.

  • THIALLY BRAGA GONÇALVES
  • Atividade antimicrobiana e mecanismos de ação do óleo essencial de Plectranthus amboinicus frente a cepas multirresistentes de Klebsiella pneumoniae.
  • Data: Feb 16, 2012
  • Show resume
  • O trabalho descreve o primeiro estudo sobre a atividade antimicrobiana e mecanismos de ação de concentrações sub-inibitórias e inibitórias do óleo essencial das folhas de Plectranthus amboinicus contra uma cepa padrão de Klebsiella pneumoniae e cepas obtidas de isolados clínicos multirresistentes. A concentração inibitória mínima (CIM), concentração bactericida mínima (CBM), a taxa de morte e o efeito do pH na ação do óleo essencial foram analisadas através de testes de microdiluição em microplacas. Concentrações sub-inibitórias e inibitórias do óleo essencial foram testadas para verificar sua ação sobre permeabilidade da membrana, expressão de cápsula, atividade da urease e morfologia celular de K. pneumoniae. A CIM e CBM do óleo essencial foram de 0,09 ± 0,01% e resultou notavelmente na inibição completa do crescimento bacteriano após 2 horas, quando as bactérias foram expostas a duas vezes a CIM do óleo essencial. A melhor CIM foi encontrada quando o pH neutro ou alcalino foi usado. Captação de Cristal violeta foi considerada significativa quando o dobro da CIM do óleo essencial foi usado (p<0,05). Inibição da atividade da urease foi observada em todas concentrações sub-inibitórias testadas, quando comparada ao grupo não tratado (p<0,001). Verificou-se ainda alteração na expressão da cápsula e alterações na membrana, verificadas pelas técnicas de Anthony e por microscopia de força atômica, respectivamente.

  • DEBORA MENEZES DA COSTA
  • Associação entre Helicobacter pylori e Polimorfismos em Genes de Interleucinas no Câncer Gástrico

  • Data: Jan 13, 2012
  • Show resume
  • Os polimorfismos de interleucinas e a infecção por Helicobacter pylori estão envolvidos no processo de metilação do DNA, característica epigenética frequentemente associada à carcinogênese gástrica. O objetivo desse estudo foi relacionar o perfil genotípico de virulência de Helicobacter pylori com o perfil genotípico dos polimorfismos de interleucinas pró-inflamatórias (IL-1β -511 C/T, IL-1RN, IL-6 -174 G/C e TNF-α -308 G/A) em pacientes com câncer gástrico, bem como os correlacionar com a metilação de promotores gênicos. DNA foi extraído a partir de 119 amostras tumorais, coletadas de pacientes submetidos a gastrectomia em hospitais de Fortaleza – Ceará – Brasil. A genotipagem dos polimorfismos foi feita por PCR-RFLP e a análise de metilação, por MS-PCR. Os genes de virulência de H. pylori (cagA, cagE, virB11, vacA) foram analisados por PCR. Quanto aos polimorfismos, encontrou-se que o alelo C do polimorfismo IL-6 -174G/C foi menos frequente em pessoas de menor faixa etária (r= –0,193; p= 0,041). Além disso, o genótipo CC de IL-6 foi correlacionado a cepas virulentas do grupo 1c (r= +0,225; p= 0,017); e o genótipo IL-6 -174 GC, com os grupos 1c (r= –0,215; p= 0,023) e 2c (r= +0,204; p= 0,031). Encontrou-se também que nos tumores da cárdia, a metilação na região promotora de COX-2 estava associada ao alelo IL-1RN*2 (p= 0,038), e o genótipo IL-1B 511T + IL-1RN*2 se mostrou importante para a metilação desse gene (p= 0,029), principalmente na presença de cepas de H. pylori cagA+ (p= 0,020) e vacA s1 (p= 0,032). A ausência de metilação do promotor de CDKN2A em tumores difusos estava associada ao genótipo TNF-α -308GG (p= 0,035), e a combinação genotípica IL-6 CC+TNF-α GG parece estar envolvida na não-metilação dos promotores dos genes CDKN2A (p= 0,038) e MLH1 (p= 0,037), mesmo na presença da infecção por cepa H. pylori cagA+. Os achados desse estudo, portanto, oferecem uma contribuição relevante no que diz respeito à associação da cepa de H. pylori com polimorfismos de interleucinas, no qual cepas de maior virulência parecem estar relacionadas com a infecção de pacientes com genótipos menos inflamatórios, sendo o contrário também verdadeiro. Esse estudo também contribui com o estabelecimento de um perfil genotípico envolvido na metilação de alguns genes, no qual pacientes com genótipo mais inflamatório e infectados por cepas de H. pylori mais virulentas estão associadas a uma maior taxa de metilação de alguns genes envolvidos na carcinogênese gástrica.

2011
Description
  • KYLVIA ROCHA DE CASTRO E SILVA
  • Quirópteros como hospedeiros do fungo Coccidioides posadasii: descrição do primeiro registro de isolamento.

  • Data: Dec 19, 2011
  • Show resume
  • A ordem Chiroptera mostra-se como reservatório para vários agentes infecciosos, incluindo protozoários, bactérias, vírus e fungos. A fim de investigar a presença de fungos patogênicos nesses animais, foram capturados 83 morcegos em áreas urbanas e rurais no estado do Ceará (Nordeste do Brasil), em coletas diurnas e noturnas, durante o período de agosto de 2010 a março de 2011. Após eutanásia, fragmentos de baço, fígado e pulmão foram removidos, macerados e alíquotas de 100µL foram semeadas em placas contendo ágar BHI modificado, as quais foram incubadas por até seis semanas nas temperaturas de 28ºC e 35ºC. Alíquotas remanescentes de cada material macerado foram estocadas a -20°C. Após 21 dias de incubação à 35ºC foi observado o crescimento de uma colônia fúngica sugestiva de Coccidioides spp. em amostra de pulmão da espécie Carollia perspicillata. Fragmentos de pulmão do morcego retirados do estoque a -20°C e analisados ao microscópio óptico revelaram estruturas esféricas semelhantes a forma parasitária do fungo. A colônia suspeita foi investigada por meio do teste de reversão in vivo em modelo murino, com observação dos animais inoculados por até quatro semanas. A identificação molecular das culturas suspeitas foi realizada por reação de PCR específica para C. posadasii, empregando os oligonucleotídeos Coi9-R e Coi9-F. Por fim, amostras de macerados dos pulmões, baço e fígado foram investigadas quanto à presença de anticorpos ou antígenos específicos para C. posadasii, bem como quanto à presença de anticorpos anti-Histoplasma, por meio da técnica de imunodifusão. Esférulas características de Coccidioides spp. foram visualizadas em amostras de pulmão dos camundongos infectados experimentalmente. Análise molecular das culturas isoladas de pulmão de C. perspicillata, bem como dos órgãos dos camundongos, mostrou banda de aproximadamente 630 pb, característica de C. posadasii. Por meio de reação de imunodifusão, foram detectados dois animais positivos para antígenos de Coccidioides, pertencente às espécies Glossophaga soricina e Desmodus rotundus e um animal da espécie G. soricina anticorpo-positivo para Coccidioides. Não foi observada reação positiva para anticorpos anti-Histoplasma em nenhuma das amostras. O presente estudo mostra o primeiro isolamento de C. posadasii em morcegos. Faz-se necessário o estudo dos quirópteros na ecoepidemiologia do patógeno.

  • DEBORA CASTELO BRANCO DE SOUZA COLLARES MAIA
  • Resistência a azólicos em Candida spp. de origem veterinária: um fenômeno  mediado por bombas de efluxo.

  • Data: Dec 15, 2011
  • Show resume
  • O monitoramento da sensibilidade antifúngica em cepas de Candida de origem veterinária é uma prática recente e os mecanismos envolvidos ainda não foram completamente elucidados. Considerando que o arsenal de drogas antifúngicas é limitado e que o fenômeno de resistência tem se tornado mais freqüente, a busca por alternativas terapêuticas se faz necessária. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo monitorar o perfil de sensibilidade de Candida spp. oriundas de animais, com ênfase na avaliação do potencial antifúngico do imidazólico levamisol e na resistência aos azólicos mediada por bombas de efluxo. Para tanto, em um primeiro momento, foram avaliados 120 isolados de Candida, sendo 19 C. albicans, 17 C. famata, 5 C. guilliermondii, 8 C. krusei, 23 C. parapsilosis, 48 C. tropicalis, dos quais 22 foram isolados de rapinantes, 32 de periquitos do sertão, 56 de papagaios (Amazona spp.), 7 de araras (Ara spp.) e 3 de um ouriço-cacheiro (Coendou prehensilis). Todas as cepas foram submetidas ao teste de microdiluição em caldo, ante a anfotericina B, itraconazol, fluconazol, segundo metodologia padronizada pelo Clinical Laboratory Standards Institute (documento M27-A3). As CIMs variaram de 0,03125 a 2 µg/mL, 0,125 a 250 µg/mL e de 0,03125 a 125 µg/mL para anfotericina B, fluconazol e itraconazol, respectivamente. Dos 120 isolados avaliados por microdiluição, 33 (27,5%) foram resistentes aos azólicos, sendo 8 (6,7%) resistentes somente a fluconazol e 24 (20%) resistentes a ambas as drogas. Adicionalmente, investigou-se a atividade antifúngica do levamisol contra 15 C. albicans, 12 C. krusei, 12 C. parapsilosis e 12 C. tropicalis, sendo obtidas CIMs e CFMs que variaram de 0,58 a 2,34 mg/mL e de 2,34 a 9,37 mg/mL, respectivamente. Em um segundo momento, todas as cepas resistentes aos derivados azólicos foram submetidas ao teste de inibição de bomba de efluxo com prometazina. Com o intuito de aumentar a amostra, 20 cepas (18 C. albicans, 2 C. tropicalis) foram resgatadas da micoteca do Centro Especializado em Micologia Médica, da Universidade Federal do Ceará, sendo 15 oriundas de calopsitas (Nymphicus hollandicus), 4 de cães e 1 de camarão (Macrobrachium amazonicum). Dentre estas cepas, 2 eram resistentes a fluconazol, 5 a itraconazol e 14 a ambas as drogas O teste t de Student para amostras pareadas foi utilizado para analisar a redução de concentração inibitória mínima (CIM) para os azólicos, após a adição de prometazina. Após a adição de prometazina, as CIMs para fluconazol e itraconazol sofreram reduções de 2 a 250 e de 16 a 4000 vezes, respectivamente. Os dados demonstram o potencial antifúngico do imidazólico levamisol em cepas de Candida spp. oriundas de animais; bem como apontam que a resistência aos derivados azólicos observadas nestas leveduras é mediada por bombas de efluxo.

  • TEREZA DE JESUS PINHEIRO GOMES BANDEIRA
  • Caracterização fenotípica e genotípica, sensibilidade a antimicrobianos e detecção de gene de virulência de cepas clínicas e ambientais de Burkholderia pseudomallei.

  • Data: Nov 4, 2011
  • Show resume
  • Melioidose é uma doença infecciosa grave causada por Burkholderia pseudomallei, um bacilo Gram-negativo encontrado no solo e na água. A doença é endêmica no sudeste asiático e hiperendêmica no norte da Austrália, onde a letalidade permanece ainda com uma taxa de 21%, apesar do uso da terapêutica empírica recomendada. No Brasil, é considerada uma doença emergente desde março de 2003. Nos últimos oito anos, um total de 13 casos foi notificados, 12 locais e um notificado pelo Governo holandês, por se tratar de um turista que morreu de melioidose após visita ao Ceará. Além dos isolados clínicos, dez cepas de B. pseudomallei foram obtidas do solo de um dos municípios cearenses afetados por melioidose em 2009. Em razão desta ocorrência clínica de melioidose e de isolados ambientais de B. pseudomallei no Estado do Ceará, este trabalho teve como objetivo o estudo das cepas clínicas e ambientais de Burkholderia pseudomallei isoladas no Estado no período de 2003 a 2011, visando à realização da detecção do gene de virulência do sistema de secreção do tipo 3 ou Type Three Secretion System (TTSS); da identificação bacteriana, molecular e determinação do perfil de sensibilidade contra cinco agentes antimicrobianos – amoxicilina/clavulanato, ceftazidima, imipenem, doxicilina e sulfametoxazol/trimetoprim; da genotipagem por intermédio da técnica de amplificação aleatória de DNA polimórfico ou Random Amplified Polimorphyc DNA (RAPD), além de avaliar os aspectos epidemiológicos e clínicos que caracterizaram a emergência desta doença no Brasil. Todas as 20 cepas (dez clínicas e dez ambientais) de B. pseudomallei mostraram resultado positivo na detecção do gene de virulência TTSS; mostraram também resultado negativo no teste de assimilação de L-arabinose e foram identificadas tanto pela metodologia VITEK2® quanto pelo sequenciamento da região 16S do DNA. No resultado das concentrações inibitórias mínimas - CIM do teste de sensibilidade por microdiluição em caldo Müeller-Hinton, todos os isolados foram sensíveis ao imipenem, doxicilina e trimetoprim-sulfametoxazol, no entanto, para amoxicilina/clavulanato e ceftazidima a sensibilidade foi de 80 e 95% respectivamente. A técnica de RAPD evidenciou uma baixa variabilidade genética entre as cepas de B. pseudomallei oriundas do Estado do Ceará, as quais foram agrupadas em três clusters diferentes.

  • MARIANA OLIVEIRA ARRUDA
  • Análise retrospectiva de aspectos clínico-epidemiológicos de infecções respiratórias agudas virais em crianças atendidas em um serviço de emergência de um hospital terciário de Fortaleza.

  • Advisor : FERNANDA EDNA ARAUJO MOURA
  • Data: Sep 30, 2011
  • Show resume
  • As infecções respiratórias agudas (IRA) são importantes causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, acometendo principalmente crianças menores de cinco anos de idade. Essas infecções podem ser causadas por diferentes microrganismos, porém os vírus são os mais frequentes. Esse estudo teve como objetivo descrever aspectos clínicos e epidemiológicos de IRA de etiologia viral em crianças de 0-12 anos de idade atendidas em serviço de emergência de um hospital terciário da cidade de Fortaleza-CE, no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2008. Para tanto foram coletadas 1318 amostras de secreção de nasofaringe das crianças. As amostras foram submetidas à técnica de imunofluorescência indireta para detecção dos seguintes vírus respiratórios: vírus sincicial respiratório (VSR), metapneumovírus humano (MPVh), adenovírus, influenza A e B e parainfluenza 1, 2 e 3. Os resultados desse estudo mostraram que pelo menos um vírus respiratório foi detectado em 383 (29,1%) amostras. O vírus mais prevalente foi o VSR (44,4%), tendo o mesmo apresentado um padrão de sazonalidade definido, com associação a estação chuvosa. A co-infecção ocorreu em 12 (3,1%) amostras e o VSR foi o mais frequentemente associado. A média de idade dos pacientes foi de 23 meses e não houve associação entre o gênero desses pacientes e a positividade dos exames, apesar da maioria das crianças serem do sexo masculino. Entre os diagnósticos clínicos de etiologia viral, houve predomínio de infecção da via aérea superior (IVAS) (51,2%), e em relação ao diagnóstico específico das infecções da via aérea inferior (IVAI), destacou-se a pneumonia. Portanto, os resultados desse estudo ressaltam a importância dos vírus como causadores de IRA em crianças na cidade de Fortaleza.

  • ELIZABETH RIBEIRO YOKOBATAKE SOUZA
  • Atividade antifúngica in vitro de estatinas sobre espécies de Candida e Criptococcus.

  • Data: Sep 29, 2011
  • Show resume
  • O aumento nos últimos anos de indivíduos imunocomprometidos, como portadores da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, de doenças malignas, transplantados e outros usuários de terapias imunossupressoras, favorece o surgimento de infecções oportunistas, principalmente as de teor fúngico, como a candidíase e a criptococose. Apesar de a terapia antifúngica atual ser eficiente na maioria dos casos, algumas vezes fazem-se necessárias novas drogas que atuem como alternativa ou como coadjuvantes no tratamento para potencializar o efeito dos antifúngicos utilizados. As estatinas são fármacos hipolipemiantes mais prescritos mundialmente para doenças cardiovasculares. Entretanto, recentemente, tem sido  descritos outros efeitos benéficos destas drogas, como, por exemplo, o controle de infecções. Este trabalho teve como objetivo determinar a atividade fungistática e fungicida das estatinas ante 51 cepas de Candida, sendo 16 de C. albicans, 11 de C. krusei,  12 de C. tropicalis e 12 de C. parapsilosis, e 25 cepas de  Cryptococcus, sendo 12 de C. gattii e 13 de C. neoformans, por meio de testes de microdiluição em caldo, segundo documento M27-A3 padronizado pelo CLSI. O intervalo de concentração testado para pravastatina foi de 50 a 0,0977 mg/mL, para sinvastatina, 1 a 0,0020 mg/mL e para atorvastatina, 10 a 0,0200 mg/mL. Pravastatina inibiu 37 leveduras do gênero Candida apresentando concentração inibitória mínima (CIM) na faixa de 1,56 a 6,25 mg /mL e as cepas restantes não foram inibidas mesmo na maior concentração testada (50 mg /mL), enquanto que sinvastatina e atorvastatina apresentaram atividade fungistática sobre todas as 51 cepas avaliadas, apresentando CIMs de 0,02 a 1 mg / mL e 0,04 a 5,00 mg / mL, respectivamente. Para o gênero Cryptococcus, apenas 4 cepas foram inibidas ante a pravastatina (CIM = 25 mg / mL), por outro lado, sinvastatina inibiu todas as 25 cepas (CIM = 0,06 a 1 mg / mL), e atorvastatina apenas 8 cepas (CIM = 0,62 a 2,5 mg / mL), sendo que as 17 restantes não foram inibidas mesmo na maior concentração testada ( ≥ 10 mg / mL). Foi determinada concentração fungicida mínima (CFM) de pravastatina sobre 15 cepas do gênero Candida (CFM = 3,12 a 25 mg / mL), de sinvastatina sobre 34 cepas (CFM = 0,03 a  1 mg / mL), e de atorvastatina sobre 16 cepas (CFM = 0,04 a 0,31 mg / mL). Para o gênero Cryptococcus, pravastatina exibiu CFM sobre apenas 3 cepas (CFM = 50 mg / mL), sinvastatina sobre 21  cepas (CFM = 0,12 a 1 mg / mL), e atorvastatina sobre 1 cepa (CFM = 1 mg / mL). Esta atividade inibitória  in vitro de estatinas sobre espécies de Candida e Cryptococcus, abre uma perspectiva importante para a investigação do possível uso destas drogas com finalidade antifúngica in vivo

  • DANIEL TEIXEIRA LIMA
  • Efeito crioprotetor de lactose e glicose em células fúngicas imobilizadas em alginato de sódio como método de preservação de culturas.

  • Data: Aug 24, 2011
  • Show resume
  • A criopreservação é a metodologia de escolha em muitos bancos de microrganismos, pois conduz a uma situação de dormência metabólica e, em conseqüência, as culturas mantêm-se estáveis por longos períodos. Ao reduzir a temperatura pode, todavia, ocorrer a formação de cristais de gelo que tendem a promover lesão celular. A lesão celular, por sua vez, pode ser evitada pelo processo de vitrificação que ocorre, combinando uma solução concentrada com o congelamento rápido. A literatura relata o uso de carboidratos como agentes vitrificadores e crioprotetores. Também informa que a técnica de imobilização de células em alginato de sódio permite o fracionamento da cultura e favorece a preservação de microrganismos. O objetivo deste trabalho consiste em avaliar a viabilidade dos fungos dos gêneros Malassezia spp. e do grupo dos Zigomicetos imobilizados em alginato de sódio, utilizando glicose e lactose como crioprotetores. Doze cepas de espécies de Malassezia spp (9 M. furfur, 2 M. globosa, 1 M. simpodialis) e doze cepas de Zigomicetos (7 Mucor sp. e 5 Rhizopus sp.) pertencentes à micoteca do Centro Especializado em Micologia Médica da Universidade Federal do Ceará. O gênero Malassezia abrange leveduras lipodependentes associadas a várias enfermidades dermatológicas, compreendem na atualidade 13 espécies. Zigomicetos, por sua vez, são fungos saprófitas e ubíquos cujas hifas, por apresentarem elevado tamanho e reduzido conteúdo protéico, estão mais vulneráveis a danos mecânicos. Dessa forma, constituem grupos fúngicos de preservação difícil em estoque, portanto, uma metodologia que mantenham a viabilidade de Malassezia spp. e Zigomicetos também poderia ser empregada com eficiência para a estocagem de outros fungos. As estruturas fúngicas foram removidas e transferidas para duas soluções de estoque, formadas por 3% de caldo Sabouraud, 1,5% de alginato de sódio e diferenciadas nas concentrações de glicose e lactose de 9% ou 23%. Em seguida, foram adicionadas esferas plásticas, medindo 0,7cm de diâmetro com orifício central e 0,5cm de comprimento. Após a gelificação iônica com cloreto de cálcio, cada cepa foi estocada à temperatura de -20 ºC e -80 ºC distribuídas em cinco tubos criogênicos de 1,5mL contendo cinco esferas cada uma, sendo avaliados em cinco períodos. Após nove meses, foi verificado que não houve recuperação de nenhuma cepa de Malassezia spp. Com relação às espécies de Zigomicetos, observou-se que, após nove meses de estoque, quatro cepas mostraram viáveis a -80 ºC, empregando glicose a 9%, seis cepas foram preservadas a -80 ºC, utilizando glicose a 23%; finalmente, seis e sete exemplares foram recuperados a -80 ºC, utilizando lactose a 9% e 23%, respectivamente. Dessa forma, o uso de carboidratos como crioprotetores, em conjunto com a técnica de imobilização de células em alginato de sódio, constitui alternativa à manutenção de algumas espécies fúngicas.

  • KHARLA KHAROLYNI NOBRE RABELO PATOILO
  • Potencial imunodiagnóstico de frações protéicas de Coccidioides posadasii.

  • Advisor : ROSSANA DE AGUIAR CORDEIRO
  • Data: Aug 12, 2011
  • Show resume
  • A coccidioidomicose é uma infecção sistêmica que acomete o homem e outros animais, causada pelos fungos dimórficos e geofílicos Coccidioides immitis e C. posadasii. A doença ocorre em áreas com clima semi-árido, com baixos índices pluviométricos, solo alcalino e é restrito às Américas. A infecção é adquirida após a inalação dos artroconídios formados durante a fase filamentosa do ciclo biológico de Coccidioides spp. O diagnóstico laboratorial se dá por técnicas de cultivo fúngico, moleculares ou imunológicas. A presente pesquisa teve como objetivo investigar o potencial diagnóstico de quatro frações antigênicas extraídas de uma cepa em fase filamentosa de C. posadasii por meio do teste de ELISA indireto anti-IgG. Para tanto, a cepa em questão foi mantida em meio líquido por 30 dias e, após inativação por timerosal, o material foi precipitado com diferentes concentrações de sulfato de amônio, originando as seguintes amostras: Fração 0-90%, Fração 0-30%, Fração 30-60%, Fração 60-90% e Exoantígeno. A concentração protéica dos antígenos produzidos foi estimada pelo Método de Bradford e o perfil eletroforético determinado por SDS-PAGE. A reatividade das preparações antigênicas foi avaliada previamente por meio de imunodifusão radial dupla. Para a realização do teste imunoenzimático, as amostras foram adsorvidas em microplacas de 96 cavidades na concentração de 2,5 μg/mL. Foram empregadas amostras de soro de 26 pacientes com coccidioidomicose, sete com paracoccidioidomicose e 10 pacientes com histoplasmose, além de 59 amostras de soros-controle negativos, totalizando 102 amostras. Os soros dos pacientes foram testados nas diluições 1:400, 1:800, 1:1600 e 1:3200. Amostras de soro dos indivíduos saudáveis foram testadas na diluição 1:400. Foram consideradas reagentes as amostras com valores de absorbância maior que a média dos controles negativos acrescido de três vezes o desvio padrão da média. Foi observado que, dentre as amostras antigênicas investigadas, a Fração 60-90% - formada por proteínas com peso molecular variando entre 13 e 92 KDa - apresentou a melhor combinação dos parâmetros avaliados: sensibilidade diagnóstica (100%), especificidade diagnóstica (88,16%), valor preditivo negativo (100%), valor preditivo positivo (74,29%) e eficiência global (91,18%). Não houve diferença estatística significativa entre as demais frações e a Fração 60-90%. Os resultados indicam o potencial da técnica ELISA indireto anti-IgG no diagnóstico da coccidioidomicos.

SIGAA | Copyright © 2010 - Secretaria de Tecnologia da Informação - UFC